Digite sua busca e aperte enter


Atendimento é feito por advogado e assistentes sociais

Imagem:

Compartilhar:

Campanha orienta população sobre direitos humanos no Distrito Federal

Criado em 02/10/12 15h20 e atualizado em 02/10/12 16h22
Por Agência Brasil

Centro de Referência em Direitos Humanos do Distrito Federal
Atendimento é feito por advogado e assistentes sociais (Elza Fiúza/ABr)

Brasília - O Centro de Referência em Direitos Humanos do Distrito Federal (DF) promove hoje (2) a primeira Campanha de Inclusão Social, na Estação Central do Metrô na Rodoviária, no centro da capital. O foco é orientar idosos e pessoas com deficiência sobre seus direitos.

O atendimento é feito por um advogado e assistentes sociais, além da distribuição de um guia de serviços do centro, com informações sobre todos os tipos de violação dos direitos humanos.

Para a coordenadora da campanha, Mara Costa, a população precisa ter conhecimento sobre os direitos previstos na Constituição. “Trouxemos toda esta estrutura para a estação do metrô para que a população saiba que existem pessoas para ajudá-las. Todos nós temos direitos e o mais importante é ter conhecimento disso”, disse.

Para o empresário Antônio Rosa, 72 anos, a falta de respeito aos idosos é um dos maiores problemas. “A lei está certa, mas as pessoas não respeitam os direitos dos idosos. As pessoas precisam ser melhor educadas nos colégios. Isso é questão cultural.”

Mãe de três filhos, a promotora de vendas, Sheila Mendes, 35 anos, disse estar preocupada com a questão da insegurança. “O que o governo tem que se preocupar é com a violência. Eu moro na Ceilândia [cidade administrativa do DF] e tem muita boca de fumo, assaltos. Morro de medo de deixar meus filhos sozinhos, eu fico preocupada porque não vejo policiamento.”

De acordo com a assistente social do centro, Nair Meneses, os direitos são violados com frequência por desconhecimento da sociedade. “A gente precisa esclarecer a população sobre os direitos que tem, porque [a população] se submete a certas situações e deixa passar.”

 

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade