Digite sua busca e aperte enter


História sobre jogadora de rugby no Irã abre festival de cinema no Rio de Janeiro

Imagem:

Compartilhar:

Rio sedia festival internacional de filmes sobre esporte

Criado em 25/10/12 18h44 e atualizado em 18/03/16 15h20
Por Paulo Virgilio Edição:Davi Oliveira Fonte:Agência Brasil

História sobre jogadora de rugby no Irã abre festival de cinema no Rio de Janeiro
História sobre jogadora de rugby no Irã abre festival de cinema no Rio de Janeiro (Fife/Reprodução)

Rio de Janeiro - O clima de preparação do Brasil para sediar os dois maiores eventos esportivos do mundo – a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 – está chegando ao cinema. A partir da noite de hoje (25), o Rio de Janeiro sedia o 1º Festival Internacional de Filmes de Esporte (Fife), evento que traz em sua programação produções nacionais e estrangeiras, entre longas e curtas-metragens, dos gêneros ficção, documentário e animação.

O curta Cuide de sua esquerda, primeiro filme do cineasta francês Jacques Tati, sobre um lutador de boxe, e o documentário Salam Rugby, do diretor iraniano Faramarz Behesht, são as atrações da sessão de abertura do evento, para convidados, às 20h, no Espaço Itaú de Cinema, em Botafogo, zona sul do Rio. O filme de Behesht, que veio ao Rio para o festival, mostra, em imagens captadas às escondidas, a viagem de 7 mil quilômetros pelo Irã de um time feminino de rúgbi do país, onde as mulheres têm que jogar vestidas da cabeça aos pés.

Com a programação dividida em várias mostras, o festival exibe até o próximo domingo (28) um total de 30 filmes sobre as mais variadas modalidades esportivas. Na parte competitiva, oito produções disputam o troféu de melhor longa-metragem e sete concorrem na categoria de curta. Também haverá uma premiação pelo voto popular, dado pelos espectadores das sessões, todas com entrada gratuita.

“Já tínhamos no Brasil mostras de filmes sobre futebol e de filmes de montanhismo, mas este é o primeiro festival que contempla todas as modalidades, olímpicas ou não”, explica uma das curadoras do evento, Lucia Fares. Segundo ela, a proposta é fazer do Fife um evento anual, sempre com filmes de qualidade de todo o mundo.

A curadora considera que o festival pode estimular a produção audiovisual brasileira de temática esportiva. “Temos  no nosso cinema filmes expressivos sobre futebol e outros esportes”, diz. Lucia Fares reconhece que nem sempre esses filmes alcançaram o público esperado para um país onde o esporte desperta tantas paixões. “Isto não quer dizer que essa realidade não pode mudar”, afirma.

Um dos clássicos do cinema brasileiro sobre o tema será exibido na mostra Retratos, em cópia remasterizada: Garrincha, alegria do povo, realizado em 1963 por Joaquim Pedro de Andrade. O cineasta, falecido em 1988, é um dos homenageados do festival, juntamente com o produtor e roteirista do filme, Luiz Carlos Barreto. Outro homenageado é o esportista Lars Grael, velejador e medalhista de bronze em duas Olimpíadas.

Além do Espaço Itaú de Cinema, as sessões do Fife serão realizadas no Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF), no centro; no Cine Santa, em Santa Teresa; na Sala Cândido Mendes, em Ipanema; e no Ponto Cine, em Guadalupe. Depois do encerramento do festival, alguns dos filmes serão apresentados nos dias 31 de outubro e 1º, 2 e 3 de novembro na Arena Jovelina Pérola Negra, na Pavuna, zona norte do Rio. A programação completa pode ser conferida no site do festival.

Edição: Davi Oliveira

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade