Digite sua busca e aperte enter


The New York Times destacou morte do arquiteto brasileiro

Imagem:

Compartilhar:

Imprensa internacional diz que estilo de Niemeyer deu vazão à sensualidade e à beleza

Criado em 06/12/12 07h58 e atualizado em 06/12/12 09h22
Por Renata Giraldi Edição:Talita Cavalcante Fonte:Portal EBC

Repercussão da morte de Niemeyer no New York Times
The New York Times destacou morte do arquiteto brasileiro (Imagem: The New York Times)

Brasília - A imprensa internacional publica desde a noite de ontem (5) notícias sobre a morte do arquiteto Oscar Niemeyer, de 104 anos, devido a complicações renais e desidratação. A morte de Niemeyer virou destaque nos principais veículos de imprensa. Nos Estados Unidos, no Reino Unido, na França, nos países muçulmanos e na China, as agências de notícias, emissoras de televisão e jornais informaram sobre a morte lembrando sua trajetória e estilo.

Leia também

Dilma lamenta morte de Oscar Niemeyer

Governador Sérgio Cabral decreta luto oficial no Rio de Janeiro pela morte do arquiteto

De mente e mãos rápidas, Niemeyer marcou um novo estilo de fazer arquitetura

Obras de Niemeyer espalham-se por diversos países

Obra de Niemeyer é única e nunca será reproduzida, diz arquiteto

As agências internacionais de notícias Reuters, BBC e Bloomberg deram informações desde ontem à noite sobre a morte de Niemeyer. Todas destacaram as obras do arquiteto, a construção de Brasília e as características peculiares do seu estilo. Em praticamente todas as reportagens havia fotos de Niemeyer e imagens de Brasília.

Nos Estados Unidos, os jornais The York Times e The Washington Post, além de vários veículos regionais, como o Miami Herald, publicaram em destaque a morte de Niemeyer. O The York Times chamou o arquiteto de precursor de uma nova geração que deu vazão à sensualidade e à liberdade de imaginação com fotos da Catedral de Brasília e uma aérea da cidade.

O jornal Washington Post classificou Niemeyer de o “mais famoso arquiteto da América Latina”. No Reino Unido, os jornais The Guardian e Financial Times, de veiculação nacional, publicaram a notícia da morte do arquiteto destacando detalhes da sua personalidade.

The Financial Times lembrou que Niemeyer era comunista e ressaltou sua síntese sobre a vida: “A vida é um suspiro, um minuto. Nós nascemos, nós morremos”. O The Guardian publicou uma fotografia de Niemeyer jovem e destacou que ele foi o responsável por mudar o estilo da arquitetura do século 20.

Para o Le Monde, um dos principais jornais da França, Niemeyer era o “arquiteto da sensualidade”. Na reportagem, há duas fotografias: uma do arquiteto olhando a paisagem do Rio de Janeiro pela janela e a outra do Palácio da Alvorada, residência oficial da presidenta da República, Dilma Rousseff. Segundo a matéria jornalística, Niemeyer revolucionou a arquitetura.

A Xinhua, agência estatal de notícias da China, publicou uma reportagem longa copilando várias informações sobre o arquiteto. Também ressaltou a nota de pesar da presidenta Dilma Rousseff. A emissora Al Jazeera, uma das principais do mundo árabe, definiu Niemeyer como o “arquiteto futurista” e lembrou seu legado com mais de 400 obras espalhadas pelo mundo.

Edição: Talita Cavalcante

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário