Compartilhar:

Provas do Enem são aplicadas em penitenciárias hoje e amanhã

04/12/12 13h21
Heloisa Cristaldo
As provas ocorrerão em 431 municípios, em todos os estados e no Distrito Federal. (Marcello Casal Jr/ABr )

Brasília - O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) aplica hoje (4) e amanhã (5) o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em estabelecimentos prisionais e unidades socioeducativas. Ao todo, 23.665 candidatos privados de liberdade realizam o exame este ano. Os homens são maioria, com 20.687 inscrições.

As provas ocorrerão em 431 municípios, em todos os estados e no Distrito Federal. Hoje o exame começou às 13h (horário de Brasília) e terminará às 17h30. Amanhã, devido à redação, a prova vai das 13h às 18h30. Diferentemente do Enem tradicional, o exame aplicado para pessoas privadas de liberdade é feito em dias úteis para evitar a movimentação nos presídios nos finais de semana, por causa dos dias de visita.

De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Educação (MEC), 11.652 candidatos têm de 21 a 30 anos de idade. São maiores de 30 anos 9.435 inscritos, enquanto 2.457 têm entre 17 e 20 anos. Além disso, 121 têm idade igual ou inferior a 16 anos. Do total de inscritos, 17.945 buscam a certificação do ensino médio.

As provas são realizadas nos estabelecimentos prisionais ou socioeducativos designados, em cada estado e no Distrito Federal, pelas secretarias de Segurança Pública e de Justiça e por órgãos de administração penitenciária e de promoção dos direitos da criança e do adolescente.

Cada estabelecimento conta com coordenador pedagógico, responsável pela inscrição dos participantes e por acompanhar todo o processo do exame. Esse profissional também é responsável pelo acesso aos resultados, por pedir a certificação ou a participação do inscrito no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), além de providenciar, se for o caso, atendimento especial para candidatos nos dias de provas.

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados até o dia 10 de dezembro, no portal do Inep.

Edição: Juliana Andrade

Compartilhar: