Digite sua busca e aperte enter


O compositor brasileiro Itamar Assumpção

Imagem:

Compartilhar:

Itamar Assumpção – Isso não vai ficar assim

Criado em 11/06/13 20h04 e atualizado em 24/02/15 14h58
Por Anderson Falcão Edição:Ricardo Feliciano Fonte:Portal EBC

Ao lançar seu primeiro álbum, “Beleléu, Leléu, Eu”, em 1981, Itamar Assumpção trazia mais que um som novo, diferente do que se ouvia no Brasil até então. Com o disco, o artista criava a persona que o acompanharia por muito tempo: o invocado Nego Dito, figura negra, urbana e marginal. Mas Vange Milliet, cantora que acompanhou Itamar em diferentes momentos, avisa: “quando você acha que conseguiu formar uma imagem de Itamar, descobre algo que te leva para outro lado”.

Confira o Especial Itamar Assumpção - Isso não vai ficar assim

Itamar Assumpção
Há dez anos saiu de cena o cantor e compositor Itamar Assumpção, expoente da "Vanguarda Paulista". (Vânia Toledo)

Ao longo de sua carreira, o artista mostrou muitas outras facetas: compôs músicas de pegada pop, mesmo que elas não alcançassem as rádios; se aproximou da canção e da poesia, principalmente após seu encontro com Paulo Leminski; interpretou músicos da tradição brasileira, como Adoniran Barbosa e Ataulfo Alves; e quase encarnou um novo personagem, o PretoBrás, nome também do projeto ao qual se dedicou nos últimos anos de sua vida.

Hoje, dez anos após a morte de Itamar, uma geração de novos artistas e ouvintes parece disposta a redescobrir a obra do músico, que já se firmou como expoente de um capítulo da música brasileira chamado “Vanguarda Paulista”. É o que sugerem as freqüentes regravações de músicas de sua autoria por artistas de peso ou as platéias repletas de jovens que acompanham desde 2010 a série de shows do projeto Caixa Preta, que apresenta os repertórios de 12 discos de Itamar interpretados por músicos diversos.

O especial do Portal EBC “Itamar Assumpção – Isso não vai ficar assim” é baseado no registro de shows e entrevistas com artistas que integram o projeto Caixa Preta, que passou por Brasília entre 18 e 21 de abril. Todo o material foi organizado em um mapa que transforma a linha metroviária de São Paulo em um passeio por diferentes momentos da trajetória do artista. Assim, é possível “embarcar” em 38 estações que contam com músicas e depoimentos de amigos, familiares e admiradores de Itamar.

É o caso dos artistas da banda Isca de Polícia, Suzana Salles, Vange Milliet, Paulo Lepetit e Luiz Chagas; Das filhas de Itamar, a cantora Anelis Assumpção e a produtora Serena Assumpção; Dos músicos paulistas Kiko Dinucci, Juçara Marçal e Beto Villares; e dos integrantes da banda Porcas Borboletas: Ricardim, Danislau, Banzo, Moita, Chelo e Vi. O trabalho contou ainda com o apoio da Caixa Cultural. A todos, fica registrado o agradecimento da Empresa Brasil de Comunicação.


Itamar Assumpção – Isso não vai ficar assim

Coordenação: Anderson Falcão
Concepção visual e pauta: Lauro Mesquita
Design e implementação: Douglas Curinga e Alexandre Krecke
Produção e entrevistas: Luanda Lima, Ana Elisa Santana e Anderson Falcão
Cinegrafistas: Ronaldo Medina e André Rodrigo
Edição: Ricardo Feliciano
Colaboração: Michael Peixoto

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade