X

Digite sua busca e aperte enter


Império de Casa Verde desfila no segundo dia dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo, no Anhembi

Imagem: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas

Compartilhar:

Acompanhe ao vivo o Desfile das Campeãs de São Paulo nesta sexta-feira

Criado em 11/02/16 12h12 e atualizado em 12/02/16 17h45
Por Céumar Turano Edição:Ana Elisa Santana

Após três noites de desfiles, São Paulo ja conhece as suas escolas vencedoras do carnaval de 2016, e a TV Brasil transmite, nesta sexta-feira (12), às 22h, o Desfile das Campeãs (Clique aqui para saber como sintonizar). A transmissão será feita direto do Sambódromo do Anhembi para todo o estado de São Paulo.

A Mancha Verde foi a escola campeã do Grupo de Acesso do carnaval de São Paulo, e a Tom Maior ficou em segundo lugar. Ambas abrem os desfiles desta sexta e sobem para o Grupo Especial em 2017.

Pelo Grupo Especial, a escola de samba Império de Casa Verde se sagrou campeã do carnaval 2016 com 269,4 pontos. Em segundo lugar, ficou a Acadêmicos do Tatuapé, com 269,1 pontos. A Mocidade Alegre obteve a mesma pontuação, mas ficou em desvantagem com os critérios de desempate. Logo em seguida estão as agremiações da Mocidade Alegre, Vai-Vai e Unidos da Vila Maria, que conquistaram o terceiro, quarto e quinto lugar, respectivamente.

Relembre os enredos das escolas. Elas se apresentam no Desfile das Campeãs na seguinte ordem:

Tom Maior

Tom Maior
Tom Maior no desfile de carnaval de 2016. Foto:Rafael Neddermeyer / Liga SP / Fotos Públicas

A Tom Maior mostrou no Sambódromo o enredo "Travessias de Milton Nascimento, todo artista tem de ir aonde o povo está". A escola homenageou o cantor e compositor da MPB, com a presença dele próprio no último carro. Milton acenou para a plateia e foi muito aplaudido. O abre-alas da Tom Maior desfilou cheio de crianças que representam santos nos arautos. O segundo carro da escola falou dos bares onde Milton Nascimento e outros compositores se reuniam. A trajetória musical do cantor e compositor foi contada no terceiro carro; e uma das alegorias trouxe imagem do capacete do ex-piloto Ayrton Senna, que teve a música Canção da América cantada após sua morte.

Mancha Verde

Mancha Verde
Mancha Verde no carnaval 2016. Foto: Rafael Naddermeyer / Liga SP / Fotos Públicas

A escola de samba Mancha Verde foi a sexta a desfilar no Grupo de Acesso com o enredo "Mato Grosso, uma Mancha Verde no coração do Brasil”. A atriz Viviane Araújo veio à frente dos ritmistas em seu oitavo ano como rainha de bateria da escola. O desfile correu sem problemas e agitou o público, que balançava bandeirinhas de integrantes da agremiação. O carro abre-alas da Mancha retratou o Pantanal, com animais como bois, jacarés e uma onça que abria a boca e mostrava os dentes. Outro carro de destaque tinha projeções de um aquário.

Unidos da Vila Maria

A Unidos de Vila Maria, escola da Zona Norte de São Paulo, surpreendeu no Sambódromo pela qualidade das alegorias e pela força da bateria. O enredo “A vila famosa é mais bela, Ilhabela das maravilhas” homenageou Ilhabela. A agremiação levou 27 alas, com um total de 3,5 mil componentes, para mostrar lendas de feiticeiras e piratas e as atrações turísticas da cidade-arquipélago no litoral paulista.

Unidos de Vila Maria
Unidos de Vila Maria. Foto: Paulo Pinto / Liga SP / Fotos Públicas

A comissão de frente fez coreografias com barris gigantes, de onde saíam integrantes que, vestidos de piratas, jogavam moedas de chocolate para o público. O abre-alas, batizado de Mayembipe, o primeiro nome de Ilhabela, tinha uma sereia gigante com água saindo das mãos. No quarto carro, uma imensa bruxa soltava fumaça e piratas pendurados no mastro de uma caravela "voavam" em direção ao público.

Vai-Vai

A tradicional escola do Bixiga cantou um samba-enredo com sotaque francês, trazendo para a avenida pontos turísticos de Paris e a cultura da França. A escola fez um desfile com alegorias modernas e fantasias leves e elegantes. O público reagiu ao samba da agremiação, com o refrão Je suis Vai-Vai (eu sou Vai-Vai), agitando bandeirinhas da França nas arquibancadas. Personagens e personalidades da França, como Amelie Poulain, Brigitte Bardot e Asterix e Obelix abriram o desfile na comissão de frente.

Vai-Vai desfila no segundo dia dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo, no Sambódromo do Anhembi
Vai-Vai desfila no segundo dia dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo, no Sambódromo do Anhembi. Foto: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas

A bateria do mestre Tadeu, há mais de 40 anos na Vai-Vai, ousou nas paradinhas e desfilou com os ritmistas fantasiados de Napolões azuis, brancos e vermelhos – as cores da bandeira da França. A apresentadora Ana Hickmann veio à frente do abre-alas, que tinha esculturas dos principais monumentos de Paris: a Torre Eiffel, a catedral de Notre-Dame e o Museu do Louvre. Símbolo da noite parisiense, o carro alegórico do cabaré Moulin Rouge também entrou grandioso no sambódromo.

Mocidade Alegre

Destaque da Mocidade Alegre que desfilou no segundo dia dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo
Destaque da Mocidade Alegre, que desfilou no segundo dia dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo. Foto: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas

Vice-campeã do carnaval 2015, a escola do bairro do Limão fez neste ano uma exaltação ao samba e à cultura afro-brasileira. Para falar do centenário do ritmo, a escola da Zona Norte recorreu aos orixás e às raízes africanas. Os versos "Ôôôô... é a força de Ayo" e "Kaô, Kaô meu pai Xangô" levantaram o público das arquibancadas, que cantou junto com os puxadores. E a bateria do Mestre Sombra deu show ao promover paradinhas e sete paradões de até mais de 30 segundos. O belo acabamento das fantasias e alegorias e o capricho das maquiagens também foram um dos pontos alto do desfile da escola.

Acadêmicos de Tatuapé

Com o enredo “É ela, a Deusa da Passarela – Olha a Beija-flor aí gente!”, a escola da Zona Leste de São Paulo relembrou desfiles históricos da escola carioca que já foi 13 vezes campeã. O desfile contou com a participação de figuras icônicas da Beija-Flor, como a passista Pinah Ayoub, que ficou conhecida por ter dançado com o Príncipe Charles. A comissão de frente trouxe uma réplica da Praça da Apoteose do sambódromo carioca, com o casal de mestre-sala e porta-bandeira Selminha Sorriso e Claudinho desfilando no topo como destaques.

Acadêmicos do Tatuapé
Acadêmicos do Tatuapé. Foto: Rafael Neddermeyer / Liga SP / Fotos Públicas

Outro personagem marcante da história da escola de Nilópolis, o carnavalesco Joãosinho Trinta foi lembrado em escultura e com um sósia. O abre-alas trouxe no topo um São Jorge, santo padroeiro das escolas do Tatuapé e de Nilópolis. A Tatuapé contou com a resistência e garra dos 3.200 componentes para evoluir com empolgação na avenida, sem contratempos.

Império de Casa Verde

A grande vencedora do carnaval 201 de São Paulo coquistou seu terceiro título do Grupo Especial com o enredo "Império dos Mistérios", que abordou questões da fé, origem das civilizações e mistérios da humanidade ao longo dos séculos. A escola levou carros alegóricos de grandes dimensões e forte impacto para a avenida. Um deles trouxe dragões e um grande Netuno para falar da lenda da cidade perdida de Atlântida, além de soltar bolhinhas de sabão na avenida.

Império de Casa Verde desfila no segundo dia dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo, no Sambódromo
Império de Casa Verde desfila no segundo dia dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo, no Sambódromo. Foto: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas

Para buscar o seu terceiro título no carnaval 10 anos após a última vitória, a Casa Verde apostou no luxo, sem economia no uso de plumas e penas. O belo acabamento das fantasias e alas coreografadas também foi o ponto alto do desfile assinado pelo carnavalesco Jorge Freitas.

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário