Digite sua busca e aperte enter


Imagem: Arte EBC

Compartilhar:

Na Trilha da História completa três anos com mais de 100 edições e indicação a prêmio

Criado em 15/11/19 00h04 e atualizado em 15/11/19 00h13
Por Edgard Matsuki Edição:Portal EBC

“História? Se eu sempre gostei? Não! Odiava. História para mim era apenas uma sucessão de datas e dados que eu tinha que decorar para uma prova. Eu não tinha nenhuma conexão emocional com história”. A frase acima poderia ser de uma pessoa que nunca mais se interessou pelo tema após sair dos bancos escolares, mas é da jornalista Isabela Azevedo, que “aprendeu a gostar do tema”, estuda história na Universidade de Brasília e é apresentadora do programa Na Trilha da História, que completa três anos neste 15 de novembro.

Confira, em vídeo, como surgiu a ideia do programa Na Trilha da História:

A proposta do programa, que já teve mais de 100 edições e é veiculado semanalmente nas Rádios EBC, é justamente quebrar o conceito de história como algo apenas para se decorar para uma prova. Para tanto, lança mão de uma estratégia: intercalar a narração de fatos históricos com músicas que tenham alguma relação com o tema.

“A música pode ajudar a contar uma história de diversas formas. Os músicos são cronistas do nosso tempo. Eles contam a nossa história de forma direta, contando dos fatos em si, ou de forma indireta, falando das modas da época, do som da época, da gíria da época, dos anseios da época. Na hora de ouvir uma história, a música também ajuda. Primeiro porque você tem um envolvimento emocional. Você não está ouvindo apenas uma sucessão de fatos. Estão entrando na história”, explica a apresentadora.

A rotina de produção do programa começa com uma etapa de pesquisa de temas e leitura de livros. Isabela diz que lê, no mínimo, “quatro livros completos por mês”. Na etapa final de produção, são selecionadas as músicas que serão utilizadas no programa: “Pode ser uma música sobre o tema, daquela época ou relacionada assunto. Às vezes, faço algo mais lúdico para deixar mais leve”, diz.

O trabalho de Isabela rendeu uma indicação ao prêmio de melhor radialista no WME. Ela entende que programas como do Na Trilha da História mostram que é possível utilizar o entretenimento na geração de conhecimento: “A música não é um fenômeno só estético. A música conta sobre a nossa história. Se você agrega conteúdo a ela isso agrega um valor imenso para história, ouvinte e para a própria rádio”.

O Na Trilha da História vai ao ar nos seguintes dias e horários: Sábado, 14h: Rádio Nacional FM Brasília 96,1 MHz, com reprise na quinta-feira, às 22h; Sábado, 19h: Rádio Nacional AM Brasília 980 kHz; com reprise no domingo, às 11h; Sábado, 6h: Rádio Nacional do Rio de Janeiro 1.130kHz; Sábado, 17h: Rádio MEC do Rio 800kHz, com reprise no domingo, às 7h; Sábado, 13h (horário de Brasília): Rádio Nacional da Amazônia 11.780kHz e 6.180kHz em rede com a Rádio Nacional do Alto Solimões AM 670 kHz, FM 96,1 MHz, com reprise no domingo, às 6h.

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário