X

Digite sua busca e aperte enter


Imagem: UnB Agência/Flickr

Compartilhar:

Da inscrição à matrícula: confira 10 dicas sobre o ProUni

Criado em 19/01/16 22h15 e atualizado em 20/01/16 21h24
Por Fernanda Duarte Fonte:Portal EBC

A primeira edição do processo seletivo de bolsas de estudo do Programa Universidade para Todos (Prouni) já está com inscrições abertas. Os candidatos têm até as 23h59 do dia 22 para se inscrever e concorrer a uma bolsa de estudos em cursos de instituições privadas de ensino superior. Nesta edição, o ProUni vai ofertar 203.602 bolsas para 30.931 cursos.

Se você ainda não possui diploma de curso superior, participou do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2015, não tirou zero na redação e obteve pelo menos 450 pontos nas médias da notas, está apto a se inscrever no processo seletivo. Confira as dicas que preparamos para você saber tudo sobre o programa e garantir a sua matrícula no ProUni.

1. Conheça quais são os tipos de bolsa e os requisitos exigidos pelo ProUni

O primeiro passo é conhecer quais tipos de bolsas são ofertadas pelo programa e se você se encaixa no perfil para pleiteá-las. Você precisa saber que o ProUni oferece dois tipos de bolsa de estudo: integral e parcial. A bolsa integral cobre 100% do valor de cursos oferecidos em instituições particulares de ensino superior e a parcial, cobre 50% desse valor. Essas bolsas são bancadas pelo governo por meio de renúncia fiscal de tributos que deveriam ser pagos pelas universidades.

Para concorrer a bolsa integral, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa. Já para a bolsa parcial (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa. 

Além disso, o candidato deve satisfazer a pelo menos uma das condições abaixo:
- ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública;
- ter cursado o ensino médio completo em escola da rede particular, na condição de bolsista integral da própria escola;
- ter cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em escola da rede particular, na condição de bolsista integral da própria escola privada;
- ser pessoa com deficiência;
- ser professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrante de quadro de pessoal permanente de instituição pública e concorrer a bolsas exclusivamente nos cursos de licenciatura. Nesses casos, não há requisitos de renda.

2. Tenha em mãos o número de inscrição e a senha do Enem

Assim como no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), você irá precisar do seu número de inscrição e da senha fornecida no momento da inscrição do Enem 2015 para fazer o login na página do ProUni. Não será possível se inscrever com o número de inscrição e senha de outras edições do exame. Na sequência, uma página com os dados cadastrados no Enem aparecerá na sua tela. Verifique se as informações estão corretas - principalmente o e-mail - antes de validá-las.

3. Pesquise o curso para o qual você quer se inscrever

No ProUni, você pode indicar duas opções de curso para se inscrever. Procure os cursos por cidade e por instituição de ensino, verificando a quantidade de vagas oferecidas para ampla concorrência e também pelo sistema de cotas e o tipo de bolsa (parcial ou integral). Vale também ficar de olho no período em que o curso é ofertado (matutino, vespertino, noturno ou integral).

Outro ponto importante que você deve considerar é a questão de escolher um curso em uma universidade longe ou perto de casa. Avalie o quanto você está disposto a se virar sozinho e se adaptar para viver em uma cidade longe da sua família e amigos. Além disso, se a sua dificuldade for financeira, é importante verificar se a universidade pleiteada possui programa de bolsas, estágios ou moradia estudantil, o que pode ajudar a minimizar os seus gastos estudando longe de casa. Além disso, os bolsistas parciais podem utilizar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para custear os outros 50% do curso, sem a necessidade de apresentação de fiador na contratação do financiamento, desde que a instituição e o curso para o qual o candidato foi contemplado com bolsa parcial do ProUni tenham oferta de vagas para financiamento e que o estudante seja aprovado no processo seletivo do Fies.

4. Fique de olho na nota de corte

A nota de corte do ProUni é a nota mínima necessária para ser aprovado e ingressar em determinado curso. Durante todo o período de inscrição, o sistema fará o cálculo e divulgará, a partir do segundo dia de inscrições, as notas de corte e a classificação parcial de cada um dos cursos registrados. Com isso, a nota de corte dos cursos acaba variando de um dia para o outro, de acordo com as notas dos candidatos.

Como até o final do período de inscrições você pode alterar as suas opções de curso, a dica é ficar de olho e avaliar se não vale a pena trocar por outro curso na mesma universidade ou pelo mesmo curso em outra universidade em que você tenha mais chances de ser selecionado.

O Ministério da Educação (MEC) ressalta que a nota de corte é apenas uma referência para auxiliar o candidato no monitoramento da inscrição, não sendo garantia de pré-seleção para a bolsa ofertada. 

5. Considere a concorrência

Não se baseie apenas pela nota de corte se estiver na dúvida de qualquer curso escolher. É bom também estar atento à concorrência, pois quanto maior o número de pessoas interessadas no mesmo curso, menores são as suas chances de conquistar a tão sonhada vaga numa universidade pública. Há cursos que, de uma instituição para outra, têm uma grande diferença na relação de candidatos por vaga. Vale, portanto, ponderar se o mais importante para você é o curso em si ou a instituição em que ele é ofertado.

6. Verifique se você se enquadra no perfil de cotista

No ProUni, existem vagas abertas para ampla concorrência - em que qualquer candidato que tenha feito o Enem e não tenha zerado na redação pode concorrer - e as reservadas para cotas, destinadas a estudantes autodeclarados pretos, pardos ou indígenas. O percentual dessas vagas é igual à proporação de pretos, pardos e indígenas na população da unidade da Federação onde está localizada a instituição.

Avalie se vale a pena optar pelas vagas reservadas para ações afirmativas, pois em alguns casos a concorrência pode ser maior entre as vagas para cotistas do que nas vagas para ampla concorrência. 

7. Fique atento ao prazo de inscrição

Não adianta chorar. Às 23h59 do dia 22 as inscrições serão encerradas. Por isso, evite deixar para as últimas horas do último dia para fazer a sua inscrição ou alterar suas opções de curso. Nos instantes finais, pelo grande volume de acessos, o site pode sofrer alguma instabilidade e inviabilizar as operações.

8. Preste atenção às datas de divulgação de resultado e ao período de matrícula

O ProUni tem duas chamadas. O resultado da primeira chamada será divulgado no dia 25 de janeiro; o da segunda chamada em 12 de fevereiro.

Os candidatos que forem aprovados devem consultar no site da instituição o horário, local e procedimentos para a matrícula.

9. Separe todos os documentos necessários para a matrícula

Uma boa ideia é já organizar em uma pasta sua documentação pessoal, como RG, CPF, certidão de nascimento, comprovante de endereço e histórico escolar do ensino médio, comprovante de renda, além de uma foto 3X4 (geralmente pedida para fazer a carteirinha de identificação do aluno), para evitar ter que correr atrás disso na última hora. Você deverá também providenciar a documentação dos membros de sua família para comprovar a renda familiar. Clique aqui para ver a relação de todos os documentos que você deverá apresentar para comprovar os dados informados na inscrição do ProUni. 

10. Não fique triste se não passar na 1ª chamada

Muitos candidatos aprovados na chamada regular acabam desistindo ou não conseguindo efetuar a matrícula. Então, a saída é não desistir e confirmar o interesse em participar da lista de espera do ProUni, do dia 26 a 29 de fevereiro. A relação dos candidatos participantes da lista de espera será divulgada no dia 03 de março de 2016. Os candidatos participantes da lista de espera terão de comparecer, entre 8 e 9 de março, às respectivas instituições para apresentar a documentação para comprovação das informações prestadas na inscrição.

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário