Digite sua busca e aperte enter


Imagem:

Compartilhar:

Chile é campeão da Copa América ao vencer a Argentina nos pênaltis

Criado em 04/07/15 19h41 e atualizado em 05/07/15 14h46
Por Leyberson Pedrosa Fonte:Portal EBC

O jogo tinha como favorita a poderosa Argentina, mas do outro lado o surpreendente Chile e sua torcida, anfitriões da Copa América 2015. A final histórica para o Chile trouxe uma seleção coletiva que permitia momentos de destaque a Sánchez e Medél. Se, por um lado, a superioridade técnica na final não permitiu que os chilenos gritassem “é campeão” no tempo normal e na prorrogação, a persistência garantiu a conversão de 100% dos chutes de pênaltis no fim do jogo.

O Chile terminou a Copa América na sua casa com o título de campeão. Placar de 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação; 4 a 1 nos pênaltis – reforçando que o 1 foi convertido por Messi, eficiente mesmo com uma Argentina não tão parecida com o Barcelona. 

Messi, melhor jogador do mundo por quatro vezes, não errou, mas se movimentou menos do que o habitual durante toda a partida. No primeiro tempo, deu Chile e alguns sustos dos “hermanos". O jogo, bastante pegado, não permitiu grandes lances de perigo aos goleiros Bravo (Chile) e Romero (Argentina).

O argentino Di Maria sentiu dores logo aos 28 minutos do primeiro tempo. Com uma contusão, foi substituído por Lavezzi. Aos poucos, a Argentina trocou Pastore por Banega e Agüero por Higuaín, gastando as trocas que tinha direito.

Sim, Higuaín foi um dos nomes marcantes do jogo. Jogador forte, porém que calibrou mal a sua cobrança de pênalti e isolou a bola por cima da trave. Mas ele não carregou sozinho a culpa pela derrota da Argentina. O "hermano" Banega, ao contrário, chutou fraco nas mãos de Bravo.

Assim, bastava a Sánchez converter o próximo pênalti para o Chile gritar campeão. E ele converteu, dando o título inédito para a torcida chilena.

E Medél? Não bateu pênalti, não fez gol na final, mas esteve presente em praticamente todos os grandes lances do Chile e até esqueceu das cãibras na decisão final.

Placar final

Tempo normal: Chile 0 x 0 Argentina

Prorrogação: Chile 0 x 0 Argentina

Pênaltis (conversões): Chile 4 x 1 Argentina

Valdívia (Chile) – SIM;  Messi (Argentina) – SIM;  Vidal (Chile) – SIM; Higuaín (Argentina) – NÃO; isolou a bola.; Aranguíz (Chile) – SIM; Banega (Argentina) - NÃO; Bravo defendeu; e Sánchez (Chile) - SIM.

Creative Commons - CC BY 3.0

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.

Deixe seu comentário

Publicidade