Digite sua busca e aperte enter


Imagem:

Compartilhar:

Iranduba (AM) quebra recordes de público no Brasileirão Feminino

Criado em 12/04/16 10h11 e atualizado em 12/04/16 12h03
Por Edgard Matsuki Edição:Luiz Cláudio Ferreira - Portal EBC

Único time da Região Norte na 2ª fase do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, o Iranduba é um dos times que mais tem surpreendido na competição. Além dos resultados em campo (o time ainda luta por uma vaga nas semifinais), a torcida do “Hulk da Amazônia” tem dado show. No jogo contra o Corinthians, time conseguiu levar 8.454 pagantes à Arena da Amazônia. O número superou em dez vezes o segundo melhor público do campeonato: 849 pagantes no jogo do Iranduba contra o Santos.

De acordo com dados da CBF, a bilheteria das duas partidas foram as únicas do Brasileirão Feminino que “pagaram” os custos operacionais do jogo (arbitragem, segurança, venda de ingressos etc). Ou seja, foram os únicos jogos que não deram “prejuízo” até o momento. O sucesso de público se deve a três fatores: o crescimento técnico do time, a atenção que a mídia local tem dado ao futebol feminino e a visita de times tradicionais para disputar partidas na região.

Leia também: Apenas dois dos 52 jogos não tiveram prejuízo no campeonato

Dirigentes do time apontam que a contratação de diversas jogadoras do Kindermann (campeão da Copa do Brasil do ano passado e que encerrou as atividades após a morte do treinador) e o projeto para se tornar um dos grandes do futebol feminino no país chamou atenção de torcedores e mídia locais. A atenção recebida tem resultado no aumento de torcida no jogos.

“Temos um projeto ousado com o objetivo de se tornar um dos cinco melhores clubes de futebol feminino no Brasil. A mídia local sempre colaborou com a divulgação das contratações, coberturas nos treinos e também apostou no projeto”, aponta o presidente do time, João Amarildo Dutra.

Para Olavo Dantas, coordenador técnico da equipe, o fato do futebol feminino ser tratado como merece pela mídia tem ajudado no aumento de público nos estádios: “O futebol amazonense tem tentado subir para a Série C [do futebol masculino] há diversos anos e não tem conseguido. Quando o torcedor, que está carente de um bom futebol, vê o time feminino na elite, ele acaba motivado”.

Time espera quebrar novos recordes

A partida contra o Corinthians foi a única do Brasileirão Feminino disputada em alguma das “arenas da Copa do Mundo”. Considerada um dos “elefantes brancos” da Copa, a Arena da Amazônia recebe poucas partidas por ano (ano passado foram 13). Logo, a oportunidade de assistir a um jogo em um dos melhores estádio do Brasil chama atenção. Outro fator que tem ajudado o Iranduba nos jogos em casa são os adversários. Até o momento, o time recebeu Santos, Portuguesa e Corinthians.

Estes fatores se refletem no perfil de torcedores que vão as partidas: “60% do público que vai aos jogos é feminino (família, amigos, dos que gostam e praticam o futebol feminino), há muitas crianças. Vejo que 20% torcem para alguns clubes do Amazonas e 30% são torcedores do Iranduba.. Outros 50% são torcedores do bom futebol”, aponta Dutra.

Como as próximas partidas já estão confirmadas na Arena da Amazônia e os adversários serão São José (um dos grandes times do futebol feminino) e o Flamengo, a diretoria espera quebrar novos recordes de público. “O foco é superar o nosso recorde no dia 13 [contra o São José] e superar outro recorde no dia 20 [contra o Flamengo]”, diz o presidente do time.

Impacto financeiro e no campo

A renda obtida nos jogos tem ajudado pouco a pagar o salário do time (cerca de R$ 30 mil contando elenco profissional e Sub-20), mas a visibilidade tem ajudado a angariar novos patrocinadores e parcerias. “O jogo que fizemos na Arena tivemos ajuda do governo estadual. A Secretaria de Esportes também libera os campos para treinamentos. Também temos patrocínios do SICOOB e da Premium (escritório de contabilidade)”, diz Dutra. “Estar na mídia todo dia nos ajuda”, completa Dantas.

Dentro de campo, o time também parece contar com a ajuda da torcida. No Amazonas, o time empatou com Corinthians e Santos (dois times que eram favoritos ao título) e goleou a Portuguesa por 5 a 0. “O público é de suma importância para as jogadoras”, conta Dantas. Agora o time precisa mais do que nunca com a ajuda da torcida para se classificar. Em último no Grupo 6, o Iranduba tem que ganhar os jogos que resta em casa para continuar lutando para não ser apenas o time com mais público como também o campeão brasileiro feminino. 

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário

Publicidade