Digite sua busca e aperte enter


Compartilhar:

Esgrima em cadeira de rodas une casal de competidores brasileiros

Criado em 16/09/16 17h21 e atualizado em 16/09/16 17h32
Por Patrícia Serrão Edição:Líria Jade Fonte:Portal EBC

Rodrigo Massarutt é tímido, usa óculos e chama atenção pelo braço forte. Sua força foi determinante para que o técnico de esgrima da associação onde fazia fisioterapia o convidasse para praticar o esporte. Ele ficou paraplégico em 2005 após sofrer um acidente de moto no Paraná.

Karina Maia chama a atenção pelas várias mechas coloridas no cabelo, está sempre com um sorriso no rosto e é mais extrovertida. Ela perdeu a perna por conta de um tumor aos 18 anos de idade, anos depois resolveu procurar um esporte para praticar e descobriu a esgrima. "Foi amor a primeira vista", declara.

A personalidade dos dois acaba se completando e um apoia o outro no esporte, que foi onde os dois se conheceram. Karina se apaixonou à primeira vista pela esgrima, mas o Rodrigo levou um tempinho a mais para conquistar o coração dela. "A gente se conheceu na esgrima, começou a treinar juntos, ficamos amigos e acabou namorando e aí foi indo...", explica a esgrimista.

O casal competiu juntos várias vezes até que Rodrigo conquistou a vaga para as Paralimpíadas do Rio 2016 na categoria espada. Já Karina não conseguiu a classificação e ficaria em casa cuidando dos filhos.

"Eu recebi a minha convocação primeiro, eu já tinha a vaga. Então a gente já tinha se organizado todo. Quando ela não conseguiu a vaga pelo regional, a gente chorou bastante, porque a gente sonhava junto com tudo isto, ainda mais no Brasil, ia ser uma emoção muito grande", conta Rodrigo.

Até que a Rússia foi impedida de disputar os jogos Paralímpicos e o Brasil foi convidado a enviar delegações para a esgrima em equipes. Karina foi uma das atletas escolhidas para disputar nas categorias espada e florete. Rodrigo já estava em São Paulo no período de aclimatação com a seleção Brasileira.

"Me chamaram e perguntaram como que seria se ela fosse a convocação. Porque as crianças iam ficar em casa. Aí eu falei, 'não, a gente dá um jeito pra tudo!'. E quando eu a vi chegando aqui no Rio, meu coração foi a mil.", diz emocionado.

A preocupação é porque o casal tem três filhos, dois são do primeiro casamento de Rodrigo e um do antigo casamento de Karina. "Mas os três são nossos filhos", ressalta Rodrigo. Robert de 16 anos, Rayane de 12 anos e Ana Júlia de 6 anos não puderam vir por causa do colégio, mas acompanham à distância a aventura dos pais.

Rodrigo filma todas as competições da esposa para que os parentes e amigos possam acompanhar também. "Todo mundo se mobilizou pra ajudar pra gente poder viver este sonho. E pra mostrar para os filhos da gente tudo isto aqui. Eles estão lá todos orgulhosos da gente.", conta.

Para Karina faltam palavras para descrever o que sente. "É uma emoção muito grande. Ainda não caiu a ficha que eu estou aqui. Mesmo entrando e competindo, mal dá pra acreditar. Meu marido está junto comigo me dando todo apoio."

Rodrigo disputou a esgrima na categoria espada individual masculina no segundo dia de competições na esgrima. Já Karina participou das provas de espada e florete por equipes no terceiro e quarto dias da competição.

 

 

Creative Commons - CC BY 3.0

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.

Deixe seu comentário

Publicidade