Digite sua busca e aperte enter


Medicamento para hiperatividade

Imagem:

Compartilhar:

Prefeitura de São Paulo aumenta exigência para distribuição de Ritalina

Criado em 17/07/14 14h08 e atualizado em 21/07/14 16h43
Por Renata Martins Fonte:Portal EBC

Uma portaria da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, publicada em junho, estabeleceu critérios mais duros para a distribuição na rede pública de medicamentos à base de metilfenidato, princípio ativo da Ritalina. 

O metilfenidato é utilizado no tratamento de crianças com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Têm direito ao medicamento crianças e jovens (7 a 18 anos e 11meses) com sintomas de hiperatividade e/ou déficit de atenção, diagnosticados como TDAH. De acordo com a nova portaria, apenas a prescrição médica não dá acesso ao medicamento. O tratamento só será considerado após a avaliação de uma equipe multidisciplinar formada por médico, psicólogo, entre outros profissionais, em um dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) da cidade de São Paulo.

Confira a reportagem:

Creative Commons - CC BY 3.0 -

A medida causou reação dos profissionais da área de saúde mental. Associação Brasileira de Psiquiatria publicou carta que critica a medida. De acordo com o documento, a portaria dificulta o acesso ao tratamento pela população de baixa renda e interfere no pleno exercício e autonomia da medicina.

“A portaria 986/2014 da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo é restritiva, burocratiza o acesso digno ao tratamento, principalmente à população com desvantagem social, e se posiciona contra a sistematização científica de maneira mistificadora e indigna”, diz documento assinado por associações médicas, psicólogos e outros profissionais da área. Na carta, as entidades pedem a revogação da portaria.

Leia a "Carta Aberta" na íntegra

A Secretária de Saúde afirma que a medida não é destinada a “diminuir custos com a compra do medicamento, mas sim, seguir o fundamento científico da prescrição”. Ainda de acordo com a Secretaria “são distribuídos anualmente 700 mil unidades do comprimido e não há falta do medicamento nas farmácias de referência da Rede Municipal da Saúde”.

Clique aqui para ler a portaria nº 986/2014

Confira algumas polêmicas envolvendo o diagnóstico do TDAH e o uso da Ritalina:

Neuropediatra explica as indicações de Ritalina

Entidades de medicina ponderam críticas ao uso da ritalina

Ritalina torna criança apática e sem criatividade, diz especialista

Ritalina é altamente benéfica quando bem indicada, diz neuropediatra

Doutora em Farmacologia afirma que a Ritalina prejudica a capacidade criativa das crianças

Ritalina inibe o espírito crítico das crianças, diz especialista

Especialista afirma que uso indiscriminado de Ritalina pode causar um "genocídio do futuro"

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário