Digite sua busca e aperte enter


Pessoa dormindo

Imagem:

Compartilhar:

Por que o sono é tão importante?

Criado em 02/09/14 11h24 e atualizado em 02/09/14 11h30
Por Blog da Saúde

Pessoa dormindo
Rotina das mães interfere no sono (Luiz Alcides / Creative Commons)

O sono é um dos momentos mais importantes do dia. Ele funciona como um alimento. Repõe as energias, revigora o corpo e a mente e nos regula para uma nova jornada.

É durante este intervalo que o corpo fortalece o sistema imunológico, libera a secreção de hormônios e consolida a memória, entre outras funções de extrema importância para o funcionamento correto do organismo.

O indicado é dormir de 6 a 8 horas por dia, sem interrupções. Para conseguir um sono de qualidade, pequenos atos ajudam muito.

• Ter um ambiente apropriado para o sono. Observe se a iluminação, temperatura, colchão e travesseiros estão adequados.
• O ideal é chegar em casa pelo menos três horas antes do horário de dormir e deixar bem claro para você mesmo que seu dia de trabalho acabou pelo menos duas horas antes de dormir.
• Não se deve ir para a cama sem sono ou usar a cama para planejar o dia seguinte, ler, assistir TV.
• Fazer refeições leves à noite. O indicado é que a última refeição seja duas horas antes de dormir.
• Horários regulares também colaboram para um bom sono, tente dormir e acordar nos mesmos horários.
• Mesmo que seja difícil, evite pensar nos problemas e tensões do dia-a-dia e relaxar.

A falta de sono pode causar, além do conhecido cansaço no dia seguinte, fadiga, irritabilidade e lapsos de memória. A principal manifestação dos problemas crônicos é a sonolência diurna exagerada, passando por alterações do humor, da memória e das capacidades mentais, como aprendizado, raciocínio e pensamento.

Um sinal que merece atenção é ronco. Popularmente interpretado como sinal de que o indivíduo dorme bem, ele mostra justamente o contrário. Quem ronca está esforçando sua musculatura respiratória para além de seus limites, e está sobrecarregando o coração de trabalho. Ao longo do tempo o indivíduo que ronca pode ficar hipertenso e/ou apresentar infarto do miocárdio ou derrame cerebral.

Alguns distúrbios podem colaborar para a má qualidade do sono e agravar os quadros citados. Entre eles estão:

Insônia

A insônia é a dificuldade de iniciar o sono, mantê-lo continuamente durante a noite ou o despertar antes do horário desejado. Estes episódios de insônia podem estar relacionados a vários fatores, e são bastante individuais: expectativas (viagem, compromissos, reuniões, prova, etc.), problemas clínicos, problemas emocionais passageiros e excitação associada a determinados eventos. Mas pode tornar-se crônica e provocar muito sofrimento ao longo dos anos.

A insônia está associada a vários fatores. Algumas pessoas apresentam maior tendência à insônia e quando expostas a condições de estresse, doenças ou mudança de hábitos, desenvolvem episódios de insônia. Estes episódios podem se prolongar por muito tempo, principalmente porque a pessoa tende a associar suas dificuldades de dormir a uma série de comportamentos: esforço para dormir, permanência na cama só para descansar, elaboração de pensamentos e planejamentos na hora de dormir, atenção às suas preocupações, atenção a fenômenos do ambiente, como ruídos e pessoas que estão dormindo, provocando sempre uma supervalorização destes fatos, o que realimenta a insônia.

Apnéia Obstrutiva do Sono

A Apnéia Obstrutiva do Sono caracteriza-se pela obstrução da via aérea no nível da garganta durante o sono, levando a uma parada da respiração, que dura em média 20 segundos. Após esta parada, a pessoa acorda, emitindo um ronco muito barulhento. A apnéia obstrutiva do sono pode ocorrer várias vezes durante a noite, havendo pessoas que apresentam uma a cada um ou dois minutos.

Em longo prazo, pacientes com apnéia obstrutiva do sono podem desenvolver doenças nas artérias, provocadas pelo acúmulo de colesterol nas suas paredes, além de provocar a ocorrência de infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral (derrame). Também pode se desenvolver a síndrome metabólica, que é a ocorrência de distúrbios da gordura e do açúcar do sangue, hipertensão arterial e aumento da circunferência abdominal. Quem apresenta esta síndrome tem maior tendência a ter infarto do miocárdio e derrame cerebral.

Síndrome das pernas inquietas

É um distúrbio caracterizado por agitação involuntária dos membros inferiores, mas que pode ocorrer também com os braços, nos casos mais graves. Em geral, os sintomas são mais intensos à noite, fazendo com que a pessoa durma mal ou quase não durma. Como consequência, passa o dia sonolento, cansado, indisposto e irritado.

Ao perceber qualquer alteração, procure um médico neurologista. Ele é o profissional mais indicado para analisar seu sono.

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade