Digite sua busca e aperte enter


Método Canguru ajuda a recuperar bebês prematuros

Imagem:

Compartilhar:

Entenda o método canguru, atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso

Criado em 17/07/15 10h37 e atualizado em 17/07/15 10h42
Por Sociedade Brasileira de Pediatria

O que é o Método Canguru ?

O Método Canguru é um modelo de assistência ao recém-nascido prematuro e sua família, internado na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal, voltado para o cuidado humanizado que reúne estratégias de intervenção biopsicossocial.

Como é feito o Método Canguru ?

O bebê prematuro é colocado em contato pele a pele com sua mãe ou com seu pai. Isto ocorre de forma gradativa. Inicialmente os pais tocam seu filho, para depois colocá-lo na posição canguru. Este contato do recém-nascido com os seus pais inicia de forma precoce e crescente, por livre escolha da família, pelo tempo que os pais se sentirem confortáveis.

O Método Canguru também permite que os pais tenham uma maior participação nos cuidados neonatais. Ocorre em três etapas:

Primeira etapa: inicia no pré-natal na gestação de alto risco, e, após, na internação do recém-nascido prematuro na Unidade Neonatal. Os pais devem ser acolhidos na Unidade Neonatal, receber informações sobre as condições de saúde do seu filho, os cuidados dispensados, as rotinas, o funcionamento da unidade e a equipe que cuidará de seu filho. Os pais devem ter livre acesso à Unidade e serem encorajados a tocar no bebê. A participação do pai é muito importante. Ele deve ser estimulado a participar em todas as atividades desenvolvidas na unidade. Os estímulos ambientais prejudiciais da unidade neonatal, como ruídos, iluminação e odores devem ser atenuados.

Segunda etapa: nesta etapa o bebê permanece de maneira contínua com sua mãe e a posição canguru deve ser realizada o maior tempo possível. A mãe participa ativamente dos cuidados do prematuro, e deve estar apta para colocar o bebê na posição canguru.

Terceira etapa: é a etapa em que o bebê vai para casa e é acompanhado, juntamente com sua família, no ambulatório e/ou em casa até atingir o peso de 2.500 g.

A transferência para a terceira etapa exige alguns critérios:
– A mãe deve estar segura, motivada, orientada e os familiares conscientes dos cuidados necessários para o bebê em casa;
– A mãe e a família devem assumir o compromisso de realizar a posição canguru pelo maior tempo possível;
– O peso mínimo é de 1.600 g;
– O acompanhamento ambulatorial deve ser assegurado até o peso de 2.500 g;
– O ganho de peso deve estar adequado durante três dias antes da alta;
– O bebê deve estar em amamentação exclusiva no seio materno ou, em situações especiais, a mãe e a família devem estar habilitados a realizar a complementação;
– Após a alta, a primeira consulta deve ser realizada em até 48h, e as demais no mínimo uma vez por semana;
– O atendimento na unidade hospitalar de origem deve ser garantido até a alta da terceira etapa.

O que é a posição canguru?

A posição canguru consiste em manter o recém-nascido de baixo peso em contato pele a pele, na posição vertical, junto ao peito dos pais ou de outros familiares. A equipe de saúde deve estar adequadamente treinada para orientar de maneira segura os pais a realizar a posição canguru.

Quais os benefícios desse método ?

O Método Canguru traz inúmeros benefícios para os pais, a família, os bebês prematuros e para a equipe de saúde:

– Favorece o vínculo mãe- filho;
– Diminui o tempo de separação mãe-filho;
– Estimula o aleitamento materno;
– Favorece um melhor desenvolvimento neurocomportamental e psico-afetivo do recém-nascido de baixo peso;
– Favorece a estimulação sensorial adequada do recém-nascido;
– Reduz o estresse e a dor do recém-nascido de baixo peso;
– Proporciona um melhor relacionamento da família com a equipe de saúde;
– Possibilita maior competência e confiança dos pais no cuidado com seu filho.

Como o Método Canguru estimula o aleitamento materno ?

Um dos pilares do método canguru é o estímulo ao aleitamento materno, incentivando a presença constante da mãe junto ao recém-nascido, e o contato precoce com seu filho. Estudos realizados em hospitais que praticam o Método Canguru demonstraram que o volume de leite diário é maior nas mães que realizam o contato pele a pele com seu bebê. É sabido, também, que as mães que fazem o contato pele a pele mantêm a amamentação de seus bebês por mais tempo.

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade