Digite sua busca e aperte enter


Criança em balança

Imagem: Marcos Santos/USP Imagens

Compartilhar:

Anorexia e bulimia afetam cada vez mais crianças

Criado em 01/10/15 10h42 e atualizado em 01/10/15 14h38
Por Conversando com o Pediatra - Sociedade Brasileira de Pediatria

A anorexia nervosa e a bulimia são distúrbios alimentares que afetam pessoas de todas as classes sociais. O número de casos vem aumentando entre homens e mulheres de todas as idades, mas especialmente em adolescentes do sexo feminino. Distúrbios psicológicos e psiquiátricos podem contribuir para reforçar a cultura da magreza corporal como padrão de beleza em nossa sociedade. Fatores genéticos e sociais também estão associados a esses graves distúrbios nutricionais.

Quando os pais devem se preocupar?

Devemos suspeitar da possibilidade de anorexia e bulimia quando a criança ou o jovem: 
a) recusa-se a manter o peso mínimo para a idade e altura;
b) perde peso sem uma causa aparente ou em grupos de bailarinos, modelos e jóqueis;
c) tem um medo exagerado de ganhar peso ou de tornar-se obeso, mesmo estando abaixo do peso;
d) apresenta complicações médicas devido ao abuso de exercícios físicos.

Há algumas características do ambiente familiar que se repetem nas famílias de pacientes com anorexia. Entre elas a superproteção, o envolvimento excessivo entre os membros da família e pouca motivação para mudanças.

Anorexia

A anorexia nervosa é uma condição onde a pessoa não ingere uma quantidade de alimentos para suprir as necessidades nutricionais de calorias, proteínas, vitaminas e minerais. Geralmente, diminuem o número de refeições e preferem alimentos com baixa caloria ou permanecem em jejum por tempo prolongado. O resultado final é a perda excessiva de peso com grandes consequências psicológicas e no funcionamento do organismo. Se não tratada corretamente tem alta probabilidade de evolução para a morte.

As pessoas com anorexia veem sua imagem corporal distorcida e, mesmo estando extremamente magras, sempre se percebem gordas. Isso justifica para elas a restrição alimentar cada vez mais rigorosa e o abuso de drogas laxativas e inibidoras do apetite. Os jovens podem apresentar atraso na maturação sexual e no crescimento físico, e podem não atingir a estatura esperada. Existe grande risco de desnutrição grave e redução perigosa dos níveis corporais de água, vitaminas e minerais, podendo comprometer as funções de órgãos como pulmões, coração, vasos sanguíneos, intestinos e pele. Pode haver também atraso no início da menstruação ou a interrupção desta, além de infertilidade e depressão - que costuma ser grave.

Bulimia

A bulimia nervosa parece ser mais comum que a anorexia, mas não compromete tanto o estado nutricional como na anorexia. O jovem pode manter o peso dentro da normalidade ou mesmo estar acima do peso, tornando a distorção do tamanho corpóreo menor do que aquele observado na anorexia nervosa.

O comportamento alimentar da pessoa com bulimia se caracteriza, geralmente, pela ingestão de grande quantidade de alimentos, seguida pela indução do vômito, diarreia por abuso de laxantes, além da prática de exercícios físicos intensos. As principais complicações estão associadas à deficiência de vitaminas e minerais, irritação e sangramento no estômago e no esôfago, anormalidades intestinais, erosão do esmalte dental, aumento das glândulas parótidas, diminuição dos batimentos cardíacos em repouso e diminuição da pressão arterial.

O tratamento da anorexia nervosa e da bulimia deve envolver uma equipe médica que conte com médico pediatra ou nutrólogo, nutricionista, psicólogo, psicopedagogo e psiquiatra. Porém, é fundamental o apoio da família, que tem um papel importante, principalmente quando a manifestação desses transtornos alimentares ocorre na adolescência.

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade