X

Digite sua busca e aperte enter


Compartilhar:

Proteste avalia repelentes mais comuns e nenhum atende aos resultados esperados

Criado em 11/12/15 11h43 e atualizado em 15/12/15 12h40
Por Proteste

Diferente do último teste realizado pela PROTESTE, em 2010, os resultados atuais não foram satisfatórios. Para avaliar a eficácia e segurança que os repelentes oferecem, foram testadas 10 marcas disponíveis no mercado: 5 amostras voltadas para o uso adulto/família (Exposis Extreme, Moskitoff, Super Repelex, Off!, Xô inseto!) e 5 amostras voltadas para o uso infantil (Johnson's, Off, Super Repelex, Huggies, Turma da Mônica, Xô inseto!). Dois aplicativos para smartphones também foram avaliados.

Verificamos a proteção em horas contra as espécies de mosquitos Aedes aegypti e Culex quinquefasciatus, a veracidade das informações do rótulo e se a composição dos produtos apresenta risco de causar alergias ou efeitos adversos a longo prazo.

Proteção em horas difere da realidade

Todos as marcas estão de acordo com a legislação no que diz respeito à rotulagem obrigatória de produtos cosméticos, porém, a maioria das marcas não entrega a proteção (em horas) descrita em seus rótulos. Dentre os produtos para uso familiar a marca Exposis por exemplo, teve o melhor desemprenho no teste de eficácia, protegendo por quase 3 horas contra o mosquito da dengue, apesar de estar bem distante das 10 horas prometidas no seu rótulo.

Apenas o Moskitoff apresentou resultados de acordo com o rotulado. Os produtos Off ! e Xô Inseto  também se aproximaram das horas descritas. Dentre os produtos de uso infantil, apenas o Off! Kids se aproxima do tempo de proteção prometido no rótulo. Já o “Turma da Mônica”, apresentou o pior resultado no quesito “proteção”.

Com relação aos dois aplicativos para celular testados, nenhuma atividade repelente foi observada, portanto seu uso é desaconselhado.

Pouca proteção contra mosquito da Dengue e risco de alergia

As marcas Super Repelex, Xô Inseto e Moskitoff foram eficazes contra a espécie Culex, mas não tiveram o desempenho esperado contra a espécie Aedes, ou seja, apresentam curta proteção contra a dengue.

Os produtos de uso infantil também não apresentaram bom desempenho na proteção contra o mosquito Aedes. Já com relação a outra espécie analisada, os produtos Johnson's Baby e Xô Inseto Kids foram eficazes. Apenas o produto Exposis demonstrou eficácia na proteção contra ambas as espécies de mosquito testadas (Aedes Aegypti e Culex).

Quanto a possibilidade de causarem reações alérgicas, nos produtos infantis, todas os marcas apresentam risco de reações adversas nas primeiras 24 horas. Os piores resultados ficaram com os produtos Super Repelex e Xô Inseto Kids. O Produto Turma da Mônica não pôde ter o risco da exposição (aguda e crônica) avaliado porque não traz no rótulo a concentração do ativo repelente IR3535.

De maneira geral, pode-se dizer que os produtos testados conferem proteção, porém, a maioria de curta duração. Como nenhum produto apresentou os resultados esperados, não há indicação de “Melhor do Teste” nem “Escolha Certa”.

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário