X

Digite sua busca e aperte enter

Os acidentes de percurso e a credibilidade da notícia

Publicado em 25/05/2016 - 11:34
Coluna da Ouvidoria
Joseti Marques - Ouvidora da EBC
Entrevista coletiva de Romero Jucá

Os acontecimentos políticos sempre foram os que mais estimularam o público a procurar a Ouvidoria com suas críticas, questionamentos e comentários. A preocupação que em geral se observa nas mensagens é sobre o equilíbrio ou parcialidade do jornalismo público. E no caso de algum viés sutil, para que lado for, nas reportagens – embora seja indesejável, isso acontece – o missivista reclama em defesa da tendência que considera a mais apropriada de acordo com sua opinião, muitas vezes dando a isso o nome de imparcialidade.

O noticiário de segunda-feira, 23,  é um caso típico: como teriam se comportado os veículos da EBC sobre a divulgação, pela Folha de S. Paulo, da conversa telefônica do ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Romero Jucá, com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, onde é sugerido um pacto para barrar a Operação Lava Jato? Uma instabilidade no sistema de internet da EBC levantou a suspeita, principalmente na opinião de internautas,  de que a notícia teria sido censurada na Agência Brasil, que ficou fora do ar por cerca de duas horas.

A Ouvidoria procurou saber o que houve. Segundo a gerência de Infraestrutura e Atendimento de TI, aconteceu uma pane em um dos servidores que sustentam os sites da plataforma web e sistemas internos da EBC. Um módulo de memória queimou e desligou todo o equipamento. Informaram que quando isso ocorre, o servidor desliga automaticamente, como medida de proteção aos demais componentes. As duas horas em que as plataformas ficaram fora do ar, segundo as informações,  foram o tempo que os técnicos levaram para migrar o sistema danificado para outros servidores.

No entanto, entre 8h e 9h30, a maioria dos veículos de jornalismo digital já havia repercutido a matéria da Folha. Na Agência Brasil, até as 10h28, quando a internet caiu, ainda não havia qualquer referência ao assunto.  

A superintendente executiva de Agências e Conteúdo Digital, Denize Bacoccina, justifica que, “de acordo com o nosso manual de redação, só publicamos informações confirmadas pela nossa equipe; não republicamos informações de outras fontes quando não podemos confirmar sua veracidade”. Segundo Denize, “essa confirmação veio na entrevista coletiva dos procuradores e policiais da Lava Jato, em Curitiba, iniciada às 10h”.

Somente às 12h48 a matéria foi publicada pela Agência, sob o título “Jucá diz que não tentou obstruir a Lava Jato e que não pretende deixar cargo”.  A reportagem dedica nove dos onze primeiros parágrafos às declarações de Jucá, com apenas dois curtos parágrafos de contextualização do assunto. O título também é uma espécie de repercussão da matéria que, afinal, a Agência ainda não havia noticiado.  Com o subtítulo “Reportagem”, os dez parágrafos seguintes descrevem adequadamente os fatos relatados pelo jornal que revelou a conversa telefônica em primeira mão.

Nos noticiosos do radiojornalismo da EBC, a informação somente apareceu no Repórter Nacional, que vai ao ar das 12h às 12h30. No boletim Nacional Informa, que entra a cada hora cheia, o caso não foi citado, pelo menos nas quatro primeiras edições até 11h. No Repórter Brasil, que é veiculado das 7h às 7h45, o assunto também não foi noticiado. O gerente de Radiojornalismo, Corban Costa,  também afirma que a publicação de notícias pelas rádios depende de apuração pela própria equipe e que por isso a divulgação da informação não foi imediata.

Na TV Brasil, o telejornal Repórter Brasil do meio-dia fez uma matéria correta, dando todos os detalhes, com uma nota de repercussão, ao vivo, de Brasília. Como principal assunto do dia, certamente estaria também em destaque no interesse do público. No entanto, a notícia foi a nona da edição, apresentada apenas no segundo bloco, antecedida por matérias menos atuais, algumas até burocráticas.  Na escalada do jornal onde as principais manchetes do dia são anunciadas, o texto referente à gravação da conversa do ministro começa pelas justificativas dele, em vez de informar, inicialmente, o fato que provocou a justificativa – um problema de abordagem que já foi muito comentado pela Ouvidoria em boletins, colunas e relatórios.

Para os leitores que sempre nos cobram explicações, está aí a apuração e análise da Ouvidoria. E pelo jeito, os mesmos cuidados de apuração é que estão postergando a repercussão, pela Agência Brasil e Portal EBC, das novas revelações na edição de hoje (25) da Folha de S.Paulo, sobre conversas gravadas entre Sérgio Machado e Renan Calheiros. Até o fechamento dessa Coluna, às 10h30, nada ainda havia sido publicado.

Com o crescimento dos meios digitais, cada vez mais o prestígio e a influência do jornalismo e da imprensa estão atrelados ao respeito ao público e à confiabilidade das informações. Para os veículos comerciais, isso vale dinheiro, e muito. Para a comunicação pública, cujo objetivo é contribuir para uma sociedade mais justa, igualitária e harmônica, isso vale muito mais.

Até a próxima!

CONTATOS DA OUVIDORIA 

Pelo telefone: (61) 3799 5244
E-mail: ouvidoria@ebc.com.br
Twitter: @ouvidoriadaebc
Ouvidoria da EBC/Caixa Postal: 8640
CEP: 70 333-900 – Brasília – DF

Acesse aqui as Colunas anteriores

Compartilhar: