X

Digite sua busca e aperte enter

Movimento Tenentista é destaque do Na Trilha da História

  • 11/01/2017 16h30
  • Gecom

O Na Trilha da História desta semana traz o relato de uma verdadeira guerra civil, com bombardeios nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Os embates foram travados entre forças do Governo Federal e jovens tenentes que lutavam contra a corrupção e as fraudes eleitorais da República Velha, período que envolve as três primeiras décadas do século XX.

Os levantes do movimento tenentista ocorreram em 1922 e 1924. Na primeira revolta, um grupo de oficiais que havia tomado o Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, se lança em uma marcha suicida e enfrenta mil homens enviados pelo governo.

O grupo ficou conhecido como "Os 18 do Forte". Essas e outras histórias são contadas com detalhes pelo entrevistado da semana, o jornalista e escritor Pedro Doria, autor do livro "Tenentes - A guerra civil brasileira", publicado pela editora Record.

Na avaliação de Doria, o movimento Tenentista é um capítulo da história brasileira que precisa ser melhor estudado. "São esses vários mitos que formam a maneira como nós enxergamos a história brasileira. Um desses mitos é o de que o Brasil é um país que não viveu guerras, um país pacífico, um país que não teve grandes revoltas. E, no entanto, viveu entre 1922 e 1924 uma guerra civil. Morreram centenas de pessoas e São Paulo virou, durante esses dias, um lugar, principalmente nos bairros operários, onde você encontraria cadáveres espalhados pelas ruas. É uma situação de guerra de trincheiras, muito semelhante à Primeira Guerra Mundial."

Trilha Sonora

O episódio da semana traz músicas da banda Engenheiros do Hawaii, com letras que ilustram bem as situações vivencidas pelos tenentes revoltosos e pela população atingida pelo conflito: "Cidade em chamas" (composição de Humberto Gessinger); "Até o fim" (composição de Humberto Gessinger); "Quanto vale a vida" (composição de Humberto Gessinger); "Segunda-feira Blues I" (composição de Humberto Gessinger e Carlos Maltz); e "Toda forma de poder" (composição de Humberto Gessinger).

Confira aqui os horários do programa completo

Sábado, 16h: Rádio Nacional FM Brasília 96,1 MHz
Domingo, 23h: Rádio Nacional AM Brasília 980 KHz (em rede com a Rádio Nacional da Amazônia 11.780KHz e 6.180KHz)
Domingo, 8h: Rádio Nacional do Rio de Janeiro 1.130KHz
Sábado, 17h: Rádio MEC AM do Rio de Janeiro 800KHZ

O Na Trilha da História é apresentado pela jornalista Isabela Azevedo. Sugestões para o programa podem ser enviadas para culturaearte@ebc.com.br.