X

Digite sua busca e aperte enter

Roseann Kennedy conversa com o agente da Polícia Federal Lucas Valença

  • 20/04/2017 15h34

Após escoltar Eduardo Cunha, ele se transformou em um fenômeno de popularidade nas redes sociais

A jornalista Roseann Kennedy entrevista o agente da Polícia Federal Lucas Valença que atuou na escolta e prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ganhou fama instantânea com o episódio.

A entrevista gravada no Parque da Cidade Sarah Kubitschek vai ao ar no programa Conversa com Roseann Kennedy desta segunda (24), às 21h30, na TV Brasil. Há seis meses, o policial se tornou conhecido e durante um período passou a ser uma das figuras mais comentadas nas redes sociais do país.

O jatinho que conduzia o réu da operação Lava-Jato, mal pousou em Curitiba no dia 19 de outubro e o Twitter já anunciava o perfil do agente misterioso. Com cabelos presos num coque samurai e barba aparada com cuidado, da noite para o dia, Lucas conquistou fãs e grande popularidade. Passou a ser chamado de "Hipster da Federal" e de "lenhador".

Nas primeiras semanas, o perfil de Lucas no Instagram, que antes era seguido por algumas centenas de pessoas, passou para quase 250 mil seguidores. No Facebook, não foi diferente. Passou a receber inúmeras solicitações de amizade, num curtíssimo espaço de tempo. Todos curiosos para saber quem era o policial da federal.

Desde então, depois de causar um verdadeiro frisson na internet, Lucas Soares Dantas Valença deu várias entrevistas para a mídia, foi convidado para programas de TV e acabou gerando boatos de que teria sofrido retaliações da PF por causa de sua superexposição. Episódio que Lucas desmente nesta entrevista.

Nascido em Posse, pequeno município do interior de Goiás, Valença cursou engenharia elétrica antes de seguir carreira na polícia. Foi policial militar no Distrito Federal e integrou o Comando de Operações Táticas da PF antes de trabalhar na Superintendência da corporação.

Sobre a carreira que escolheu, ele declara. "Ralei muito para chegar na Polícia Federal. Eu costumo dizer que a pessoa, mais do que achar alguma coisa que dê estabilidade ou retorno financeiro pra ela, ela tem que achar qual é o real objetivo dela. E aos meus vinte e poucos anos eu já tinha decidido que o meu objetivo de vida era trabalhar onde eu trabalho".

No Brasil, as redes sociais já tinham sido responsáveis por outros casos de súbita notoriedade como o de Lucas Valença. Foi o que aconteceu com o agente Newton Ishii, o "japonês da Federal" que também participou de escoltas de presos na Operação Lava-Jato.

Depois de virar uma celebridade instantânea, ter sido homenageado em marchinhas e fantasias de carnaval, Ishii caiu no esquecimento ao ser condenado e preso por corrupção ao facilitar a entrada de contrabando no país.

Em tempos de grande acesso à internet não são raros os casos de personagens que são alçados à fama rapidamente. Hoje, sem holofotes e sem tanto assédio, Lucas analisa com clareza os acontecimentos que tiveram repercussão em sua vida.

"Eu não me acho uma celebridade. Graças a Deus, esta exposição toda, essa quantidade de gente, a questão do assédio, isso não mudou minha cabeça. Eu continuo seguindo os meus próprios princípios, os meus valores e tentando manter a minha humildade".

O programa Conversa com Roseann Kennedy tem horários alternativos na TV Brasil na madrugada de segunda para terça às 2h45. A atração jornalística também vai ao ar aos domingos, às 19h30.

Serviço:
Conversa com Roseann Kennedy – segunda-feira (24), às 21h30, na TV Brasil.
Conversa com Roseann Kennedy – segunda-feira (24) para terça (11), às 2h45, na TV Brasil.
Conversa com Roseann Kennedy – domingo (30), às 19h30, na TV Brasil.