X

Digite sua busca e aperte enter

Caminhos da Reportagem apresenta a realidade no Oiapoque

Publicado em 16/08/2017 - 09:32

Programa acompanha desafios e dificuldades da população para ter acesso a serviços públicos

A equipe do programa Caminhos da Reportagem desembarca no Oiapoque, no extremo norte do Amapá, para mostrar como é a vida da população do município que faz fronteira com a Guiana Francesa. A matéria especial vai ao ar nesta quinta (17), às 22h, na TV Brasil.

Com pouco mais de 24 mil habitantes, Oiapoque fica a 600 quilômetros de Macapá, capital do estado. Parte da estrada ainda não é asfaltada, o que dificulta ainda mais o acesso terrestre à cidade, cercada por águas e florestas. Os barcos são o principal meio de transporte e é por meio deles que muitas crianças atravessam o rio Oiapoque todos os dias em direção à escola, que fica em San George, na Guiana Francesa.

Os moradores de Oiapoque contam no programa da TV Brasil como é a rotina, os prazeres e os obstáculos da vida no extremo norte do país. Além da dificuldade de acesso aos grandes centros, a população enfrenta problemas e comunicação e escassez de energia elétrica. Há localidades que ainda não contam com serviços de telefonia e de internet.

Já a eletricidade é disponibilizada por apenas algumas horas dos dias e das noites. José Maria Bararoá, líder comunitário da Vila Nova do Taparabu, distrito de Oiapoque, afirma que a maior dificuldade dos moradores da comunidade está no acesso aos serviços de saúde.

Nos arredores de Oiapoque e na fronteira com a Guiana Francesa, o Caminhos da Reportagem acompanha o trabalho do Exército Brasileiro para inibir e combater diversos crimes ainda muito comuns, como tráfico de pessoas e de drogas, extração ilegal de ouro, barcos de pesca sem documentação e brasileiros em situação irregular.

Em algumas operações, a atuação é realizada em conjunto com a Legião Estrangeira, unidade militar da França. Durante a viagem, a equipe de reportagem também conhece familiares de integrantes do Exército Brasileiro que decidiram abandonar a vida agitada de grandes cidades e optaram por uma vida mais tranquila no Oiapoque.

O programa vai mostrar, ainda, a situação da Ponte Binacional, que liga o Brasil à Guiana Francesa. A obra levou mais de 20 anos para ser construída e custou mais de R$ 30 milhões ao Brasil. Paulo Gustavo Pellegrino Correa, professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do Amapá, explica que entre os empecilhos para o uso da ponte estão as barreiras físicas e econômicas.

Segundo o pesquisador as barreiras físicas ocorrem em razão da dificuldade de acesso, das más condições da estrada para se chegar a Oiapoque, o que prejudica a questão logística e de transporte de produtos que poderiam ser exportados; e econômicas em razão do alto custo de um seguro obrigatório exigido para que carros possam circular pela Guiana.

“A ponte, apesar de simbolicamente ser muito interessante, ela precisa ainda mostrar a que veio, não sei se mostra. Ela tem uma beleza estética e uma beleza simbólica, mas não sei se tem um uso prático e se ela vai ter. Isso é um desafio”, afirma.

Serviço:
Caminhos da Reportagem – quinta-feira (17), às 22h, na TV Brasil.

Compartilhar: