Digite sua busca e aperte enter


Compartilhar:

Médium encontrado morto no Rio já tinha feito milhares de curas

Criado em 19/06/15 19h07 e atualizado em 19/06/15 19h19
Por Douglas Corrêa Edição:Maria Claudia Fonte:Agência Brasil

O presidente do Lar de Frei Luiz, Wilson Vasconcelos Pinto, disse que a casa não tem qualquer suspeito para a morte do médium Gilberto Ribeiro Arruda, de 73 anos, e que a vítima morava no local com a mulher, Marli, mas que eles dormiam em quartos separados.

Pinto disse ainda que foi a mulher do médium quem encontrou o corpo do marido, por volta das 7h da manhã de hoje (19). Segundo ele, Gilberto participou de uma reunião na noite passada (18) com dependentes químicos e que não teve qualquer tipo de problema. Esse encontro é realizado há mais de quatro anos.

“Ele era o principal médium da casa. Uma pessoa tranquila e estamos todos chocados com o que aconteceu”. Perguntado se teria alguma ligação com crime de intolerância religiosa, o presidente da instituição, descartou totalmente essa hipótese.

O vice-presidente do Lar de Frei Luiz e diretor espiritual da casa, Nélson Duarte, disse que o médium Gilberto Arruda foi encontrado deitado no chão. “Ele era uma pessoa muito boa. Uma pessoa que serve a casa há 68 anos Fez caridade com a mediunidade de cura. São milhares de pessoas beneficiadas. Quem é que pode imaginar dele ter uma inimizade? Para nós. é uma surpresa grande saber que ele teve inimigo ou que supostamente existe inimigo. Então, a gente descarta isso”, explicou.

Duarte voltou a afirmar as qualidades da vítima. Disse que era um homem amado e que sabia fazer cumprir a sua mediunidade. “Não era um homem de frequentar festas, não ficava em lugares de aglomeração, até porque a sua mediunidade impedia que ele estivesse nesses lugares, devido a sua altíssima sensibilidade. Ele não bebia, não fumava”, contou.

O Lar de Frei Luiz distribuiu nota oficial sobre a morte do médium Gilberto Ribeiro Arruda, 73 anos, encontrado amarrado no quarto onde dormia e com golpes no rosto e um corte no braço. Médium desde os 6 anos de idade, “dedicou-se durante toda a vida aos necessitados e sofredores com a sua mediunidade de cura”.

A nota diz ainda que “é com saudade na alma que nos despedimos de Gilberto. Sabemos que nesses tempos modernos tudo pode ser imaginado e especulado, sem qualquer elemento concreto”.

O documento assinado pelo presidente do Lar de Frei Luiz, Wilson Vasconcelos Pinto, informa que os fatos sobre a desencarnação do médium Gilberto estão sendo apurados, e somente após a conclusão das investigações “poderemos saber o que de fato ocorreu”.

Neste domingo (21) haverá reunião normalmente na Casa de Frei Luiz, como acontece habitualmente. As sessões de atendimentos também serão realizadas com os atendimentos espirituais mantidos.

*Colaborou Joana Moscatelli, do Radiojornalismo

 

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade