Digite sua busca e aperte enter


Brasília - A presidenta Dilma Rousseff participa da cerimônia de entrega do Prêmio Direitos Humanos 2013, durante o Fórum Mundial de Direitos Humanos.

Imagem:

Compartilhar:

Em prêmio de direitos humanos, Movimento Mães de Maio defende desmilitarização da polícia

Criado em 12/12/13 17h28 e atualizado em 12/12/13 21h43
Por Paulo Victor Chagas Edição:do Prêmio dos Direitos Humanos Fonte:Agência Brasil

 

Movimento Mães de Maio
O movimento reúne mães que perderam filhos em ataques do PCC no ano de 2006 (Site do movimento)

Brasília – Na entrega da 19ª Edição do Prêmio dos Direitos Humanos, a representante do Movimento Mães de Maio, Débora Maria da Silva, defendeu a desmilitarização da Polícia Militar. Segundo ela, não foi coincidência receber das mãos do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a estatueta do prêmio. "Essa justiça não aparece para nós", disse.

Leia mais notícias sobre Fórum Mundial

Débora recebeu o prêmio na categoria Enfrentamento à Violência, e discursou em nome dos 23 agraciados e dos dois premiados com menção honrosa.

"Quando a gente sente na pele o que é perder um filho, a gente também se põe no lugar das vítimas do passado, da ditadura militar, para a gente comemorar o fim dessa ditadura, a gente tem que desmilitarizar a polícia", disse, sendo aplaudida pelo público, estimado em 3 mil pessoas, presente ao evento.

Para a representante do movimento, uma democracia com uma polícia militarizada é uma "falsa democracia". Débora pediu a presidenta Dilma Rousseff, que participa da premiação, reparação pelos crimes cometidos durante maio de 2006.

O Movimento Mães de Maio é formado por mães que tiveram os filhos assassinados em ações de retaliação aos ataques da organização criminosa Primeiro Comando da Capital contra policiais militares e civis no estado de São Paulo, em maio de 2006.  De acordo com o movimento, na capital paulista e na Baixada Santista, cerca de 500 jovens foram mortos e as ações de retaliação tiveram a participação de agentes do Estado.
 

Edição: Carolina Pimentel

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade