Digite sua busca e aperte enter


Em seu primeiro discurso no Itamaraty, o novo ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, defendeu hoje (28) o respeito e a preservação da hierarquia na casa

Imagem:

Compartilhar:

Chanceler brasileiro conversa amanhã sobre espionagem com Susan Rice

Criado em 10/09/13 11h06 e atualizado em 10/09/13 11h18
Por Renata Giraldi Edição:Graça Adjuto e Juliana Andrade Fonte:Agência Brasil

Novo ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado
Nas últimas duas semanas, houve uma série de pedidos por informações aos Estados Unidos, reforçados pelo ministro da Justiça (Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

Brasília - O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, conversa amanhã (11), no fim da tarde, com a conselheira de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Susan Rice, em Washington. Ele desembarcará na capital norte-americana procedente de Genebra (Suíça), onde participou de cerimônia que marcou o início da gestão do embaixador brasileiro Roberto Carvalho de Azevêdo na Organização Mundial do Comércio. O objetivo do encontro de Figueiredo com Susan Rice é cobrar pessoalmente as explicações prometidas pelo presidente norte-americano, Barack Obama, sobre as denúncias de espionagem à presidenta Dilma Rousseff, a assessores e cidadãos brasileiros. Reportagem veiculada domingo (8) pelo programa Fantástico, da TV Globo, diz que a Petrobras também foi alvo de espionagem por agências norte-americanas.

Leia mais no Portal EBC: 

Dilma: motivo de espionagem não é terrorismo, mas interesse econômico

Lobão diz que denúncias de espionagem à Petrobras não mudam cronograma do leilão do pré-sal

Figueiredo vai cobrar respostas sobre espionagem em Washington

Na semana passada, em São Petersburgo (Rússia), Dilma e Obama conversaram sobre o mal-estar causado pelas denúncias de espionagem. Segundo ela, Obama prometeu responder às perguntas encaminhadas pelo governo do Brasil. De acordo com a presidenta, se for necessário, ela voltará a conversar com o norte-americano. “O presidente Obama declarou para mim que assumia a responsabilidade direta e pessoal pelo integral esclarecimento dos fatos, e que proporia para exame do Brasil medidas para sanar o problema”, disse a presidenta, em entrevista coletiva.

Nas últimas duas semanas, houve uma série de pedidos por informações aos Estados Unidos, reforçados pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e por Figueiredo. Em meio à expectativa pelas informações, a presidenta deixou em aberto a possibilidade de viajar, em 23 de outubro, para Washington, nos Estados Unidos, com honras de chefes de Estado.

Edição: Graça Adjuto e Juliana Andrade

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário