Digite sua busca e aperte enter


Chanceler alemã Angela Merkel

Imagem:

Compartilhar:

Justiça alemã vai investigar escutas telefônicas ao celular de Angela Merkel

Criado em 04/06/14 12h01 e atualizado em 04/06/14 12h18
Por Agência Brasil

Chanceler alemã Angela Merkel
Chanceler alemã Angela Merkel (European Council/ Creative Commons)

A justiça alemã vai investigar as supostas escutas ao telefone celular da chanceler Angela Merkel pela Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos, reveladas pelo ex-consultor contratado para prestar serviço á agência, Edward Snowden. O anúncio foi feito hoje (4) pelo procurador federal da Alemanha, Harald Range.

“Informei a comissão parlamentar de Assuntos Jurídicos que abri uma investigação preliminar sobre escutas ao celular da chanceler”, disse Range à imprensa depois de uma reunião da comissão. De acordo com ele, a investigação é contra “desconhecidos” e vai incidir sobre espionagem e atividades a favor de um serviço de informações estrangeiro.

Leia também no Portal EBC: 

Felipe de Borbón diz que vai dedicar "todas as forças" em prol da Espanha

Obama condena Rússia por 'manobras obscuras' em relação à Ucrânia

O procurador adiantou, por outro lado, que não vai investigar a espionagem de mensagens eletrônicas de milhões de cidadãos alemães, igualmente revelada por documentos confidenciais divulgados por Snowden. Angela Merkel se encontra nesta quarta-feira com Barack Obama na Cúpula do G-7 em Bruxelas, na Bélgica.

A investigação por parte da Alemanha pode voltar a aumentar a tensão diplomática entre os dois países, depois de meses de tentativas de apaziguamento pelo ocorrido, que Merkel considerou “grave” e pelo qual Obama pediu desculpas.

Antes das declarações de Range, vários jornais alemães noticiaram a intenção do procurador federal de investigar apenas as escutas a Merkel, o que suscitou críticas de vários partidos, incluindo os sociais-democratas, que integram a coligação de governo.

“Uma política judicial que segue a premissa de que ‘todos os animais são iguais, mas uns são mais iguais do que outros’ [em referência ao livro A Revolução dos Bichos, de George Orwell], não é aceitável quando está em causa a violação em massa dos direitos dos cidadãos”, disse vice-presidente do partido Social-Democrata (SPD) na Câmara alemã, Ralf Stegner.

A decisão foi também criticada pelos partidos de oposição Os Verdes e Die Linke (esquerda radical). "O delito principal em causa na discussão é a espionagem em massa operada pela NSA”, explicou o deputado representante dos Verdes, Hans-Christian Stroeble, na comissão parlamentar que ouviu o procurador.


O parlamento alemão constituiu em abril uma comissão de inquérito para determinar em que medida cidadãos e responsáveis políticos alemães foram alvo da espionagem da NSA e o que os serviços secretos alemães sabiam sobre essas atividades. A comissão pretende especialmente ouvir Snowden, seja indo à Rússia, onde o ex-consultor está exilado, seja por meio de videoconferência.

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário