Digite sua busca e aperte enter


Compartilhar:

Acompanhe os destaques do 3º dia do Fórum Mundial da Água

Criado em 21/03/18 07h27 e atualizado em 22/03/18 20h28
Por Agência Brasil, Rádios EBC e TV Brasil Edição:Líria Jade e Ana Elisa Santana Fonte:Portal EBC

Nesta quarta-feira (21), o terceiro dia de debates do 8º Fórum Mundial da Água tem como destaques a cooperação em Água Transfronteiriça para segurança alimentar, acesso sustentável à água na África, o enfrentamento de secas e estiagens nas Américas, fenômenos hidrológicos extremos, modelo ecológico de gestão hídrica e outros. 

A relação entre água e segurança alimentar pautou as discussões no segundo dia do Fórum Mundial da Água, em Brasília, nesta terça-feira (20). A programação destacou, por exemplo, mecanismos para preservação do cerrado, que é o segundo maior bioma da América do Sul, o problema da fome no mundo e meios de promover a agricultura sustentável.

Esta é a oitava edição do Fórum Mundial da Água, realizado a cada três anos em um país diferente. A primeira ocorreu em 1997, em Marrakesh, no Marrocos, e a última em 2015, em Daegu, na Coreia do Sul. Ao todo, representantes de 175 países participam do encontro. A 8ª edição do fórum inclui mais de 300 mesas de debate, restrita aos inscritos, além de programação paralela aberta ao público. O evento, que é o maior do mundo para debates relativos à água, segue até sexta-feira (23) no Brasil. O encontro deste ano traz o tema "Compartilhando Água". 

Carta de Brasília elenca diretrizes para acesso à água

Qualidade da água

O professor de Manejo de Bacias Hidrográficas da Universidade de Brasília, Henrique Leite Chaves, destaca a complexidade da avaliação da qualidade da água devido a poluentes emergentes e várias fontes difusas difíceis de serem identificadas e gerenciadas. 

Segundo o professor, o crescimento das cidades e da população em áreas muito concentradas leva os rios a receberem uma quantidade grande de rejeitos que, mesmo tratados, ainda impactam na qualidade das águas. O acúmulo de poluentes nos rios, mesmo estando dentro dos parâmetros de qualidade, afeta os usuários que utilizam aquela água.  

Jovens empreendedores

O projeto “Plantando Água, uma atuação na microbacia do Ipê”, do Centro Educacional Agrourbano Ipê, do Riacho Fundo (DF), foi um dos finalistas do Prêmio ANA 2017. O coordenador do projeto, professor Leonardo Hatano, foi um dos convidados do Revista Brasil e falou sobre o projeto e como foi a participação dos alunos para o sucesso do projeto.

Creative Commons - CC BY 3.0 - Fórum Mundial da Água mostra jovens empreendedores pela conservação da água

Acesso à água e saneamento

Autoridades e representantes de prefeituras e governos regionais de diversos países apresentaram recomendações para superar os desafios locais de acesso à água e ao saneamento básico. As propostas do Chamado para a Ação de Governos Locais e Regionais sobre Água e Saneamento de Brasília sugerem promover uma agenda integrada de direitos humanos e acesso à água e ao saneamento; aprimorar as legislações relativas aos recursos hídricos e à eficiência energética; aumentar o financiamento descentralizado de projetos de água; melhorar o planejamento para evitar riscos e mitigar as mudanças climáticas, protegendo as áreas sensíveis; e fortalecer os governos locais e cidadãos para a governança da água. Leia mais na Agência Brasil.

 Objetivo 14 das Nacões Unidas

"Temos obrigação moral de fazer com que o Objetivo 14 das Nacões Unidas seja fielmente cumprido porque essa é a única maneira de preservar os oceanos", disse o enviado especial da Secretaria-Geral da Organização das Nações Unidas para os Oceanos, Peter Thomson em várias oportunidades ao longo do Fórum até agora. O chamado ODS14 é um dos 17 objetivos para o Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, ratificada por 150 países em 2017, durante a Conferência sobre os Oceanos, quando o próprio Thomson presidia a 71ª Assembleia Geral das Nações Unidas. Saiba mais.

Vejas mais fotos do dia no 8º Fórum Mundial da Água

Seis especialistas de quatro países discutiram os riscos dos rompimentos de barragens e enfatizaram a importância de programas de prevenção em um dos painéis mais concorridos desta quarta-feira. Ações nesse sentido poderiam evitar ou minimizar os efeitos de problemas como o que ocorreu na cidade de Mariana (MG) em 2015. Saiba detalhes na reportagem do Repórter Brasil:

Tags:  FMA2018, água
Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade