Digite sua busca e aperte enter


Compartilhar:

Eleições 2016: Horário eleitoral gratuito já está liberado para o segundo turno

Criado em 04/10/16 21h42 e atualizado em 07/10/16 11h11
Por Cristiane de Oliveira Edição:Gésio Passos Fonte:Portal EBC

Oficialmente, começou nesta quarta-feira (5) o período de horário eleitoral gratuito para os candidatos que vão disputar o segundo turno nas eleições municipais. De acordo com a Lei das Eleições (Lei n°9.504/97), o horário eleitoral pode ter início a partir das 48 horas após a proclamação do resultado do primeiro turno. No caso das eleições municipais, a proclamação é feita pelo juiz de cada localidade e a propaganda pode ter início em data diferente em cada cidade onde haverá segundo turno.

Segundo o calendário eleitoral, a data limite para o início da propaganda é o dia 15 de outubro, quinze dias antes da data marcada para o segundo turno, que este ano será em 30 de outubro. As inserções nas rádios e televisões serão veiculadas na data acordada entre os candidatos e comunicada ao juízo eleitoral competente.

Dos 55 municípios que terão segundo turno, 18 são capitais. Confira o clima político eleitoral das capitais e o perfil dos candidatos que continuam no pleito:

Porto Alegre

Os partidos e coligações derrotadas ainda se encontram em fase de análise de alianças. Até o momento, apenas o PV anunciou apoio ao candidato Nelson Marchezan Júnior do PSDB. Militantes do PT e do PSOL defendem o voto nulo no segundo turno. Para eles está fora de cogitação apoiar o deputado federal Nelson Marchezan Júnior, defensor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, e o vice-prefeito Sebastião Melo do PMDB, mesmo partido de Michel Temer, que tomou o lugar de Dilma.

Sebastião Melo

O candidato da situação é Sebastião Melo, do PMDB, que está coligado com outros 13 partidos. O peemedebista foi vereador por três mandatos na capital gaúcha na década de 2000 e atualmente é o vice do atual prefeito, José Fortunati. Melo é advogado, formado em direito na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos).

Nelson Marchezan

O PSDB está coligado com outros três partidos na tentativa de eleger Nelson Marchezan Junior, filho do político gaúcho Nelson Marchezan, já falecido. O candidato tucano já foi deputado estadual e, atualmente, está licenciado do segundo mandato de deputado federal para concorrer à prefeitura.

Florianópolis

Ângela Amin (PP) conquistou uma vaga para o segundo turno da eleição à prefeitura de Florianópolis, mas teve seus direitos políticos suspensos por cinco anos pelo Superior Tribunal de Justiça. A decisão, publicada nesta segunda-feira (3), responsabiliza a candidata por usar verbas da prefeitura para publicidade pessoal. Ângela iria disputar o segundo turno com o candidato Gean Loureiro do PMDB, no entanto, a nova eleição tem destino incerto.

Angela Amin

A candidata da situação é Angela Amin, do PP. O partido está coligado com o PSD do atual prefeito, César Souza Júnior. Angela foi vereadora de Florianópolis em 1988 e prefeita entre 1997 e 2004. Ela também foi eleita deputada federal em 1990 e em 2006.

Gean Loureiro

O candidato do PMDB, Gean Loureiro, é apoiado por outros 14 partidos que compõem a coligação. O peemedebista foi vereador da capital catarinense por cinco vezes. Em 2011, foi eleito deputado federal. Em 2012, Loureiro candidatou-se à prefeitura, mas não foi eleito.

Curitiba

O ex-ministro do Turismo Rafael Greca (PMN) e o deputado estadual Ney Leprevost (PSD), que disputam o segundo turno em Curitiba, desconversaram sobre possíveis alianças. Os candidatos
derrotados também não adiantaram quem irão apoiar. Greca, no entanto, conta com o apoio do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), enquanto Leprevost tem como principal cabo eleitoral Ratinho Jr (PSC), secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano, também da gestão tucana.

Rafael Greca

Rafael Greca é o candidato do PMN e de outros seis partidos. Foi prefeito da capital paranaense entre 1993 e 1997. No ano seguinte, foi eleito o deputado federal mais votado do Paraná. Greca
também atuou como ministro de Esporte e Turismo no segundo governo Fernando Henrique Cardoso.

Ney Leprevost

O candidato do PSD e de outros seis partidos é o jornalista Ney Leprevost. Licenciado do cargo de deputado estadual para disputar a prefeitura, ele foi eleito em duas oportunidades como vereador de Curitiba. Leprevost também atuou como secretário estadual de Transporte e Turismo.

Rio de Janeiro

O presidente do PSDB, Aécio Neves, declarou nesta terça-feira (4) que o partido não vai apoiar nem Marcelo Freixo (PSOL) e nem Marcelo Crivella (PRB) no segundo turno das eleições. O PMDB, partido do atual prefeito, Eduardo Paes, que tentou permanecer no poder com o candidato Pedro Paulo, também descartou apoio a Crivella e Freixo. Já o presidente do PSB, Carlos Siqueira, anunciou apoio a Marcelo Freixo nesta segunda-feira (3).

Marcelo Crivella

Com curso superior completo, casado, o senador Marcelo Crivella, do PRB, é natural da capital do estado do Rio de Janeiro, onde nasceu no dia 9 de outubro de 1957. Sua coligação é Por um Rio Mais Humano. Crivella é senador pelo Rio de Janeiro, já tendo exercido o cargo de Ministro da Pesca e Aquicultura durante o governo Dilma, 

Marcelo Freixo

O deputado estadual Marcelo Freixo é nascido em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro, em 12 de abril de 1967, tem curso superior completo. Seu partido é o PSOL, coligação Mudar é Possível. Freixo é militante dos direitos humanos, sendo deputado estadual desde 2009.

Belo Horizonte

O candidato Rodrigo Pacheco (PMDB) e o vice-governador mineiro Antônio Andrade (PMDB) declararam nesta terça-feira (4) apoio ao candidato João Leite (PSDB) no segundo turno da eleição para a prefeitura de Belo Horizonte, o que provocou conflitos internos na legenda. João Leite é um dos principais críticos do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), do qual o PMDB é aliado. Nesta quarta (5), deputados estaduais do PMDB publicaram uma nota desautorizando o apoio ao tucano.

João Leite x Alexandre Kalil

Os candidatos são pessoas que foram projetadas para a política por meio do futebol e que têm sua trajetória ligada ao Clube Atlético Mineiro. João Leite (PSDB) foi goleiro na década de 1980 e Alexandre Kalil (PHS) foi presidente do clube entre 2008 e 2014, período em que o time conquistou a Copa Libertadores (2013), considerado o maior título do clube. Enquanto Kalil participa de sua primeira eleição e tenta se apresentar como bom gestor, João Leite apresenta seu vasto currículo político com mandatos de vereador em Belo Horizonte e de deputado estadual em Minas Gerais. Ele também já disputou a prefeitura em 2000 e 2004, terminando na segunda colocação em ambas as vezes.

Vitória

Atual prefeito da capital capixaba, Luciano Rezende (PPS) pleiteia um segundo mandato na capital capixaba. Para isso, ele conseguiu ampliar as alianças políticas que lhe garantiram a vitória em 2012. Se, naquela ocasião, ele contou com a apoio de sete legendas, dessa vez sua coligação reuniu 12 partidos. O PSB indicou o nome de Sérgio Sá como vice da chapa.

Uma outra articulação, de dez partidos, lançou o nome do deputado estadual Amaro Neto (SD) que, em 2014, foi o candidato mais votado para a Assembleia Legislativa do Espírito Santo com 55,4 mil votos. Roberto Ribeiro (PDT) é o vice na chapa.

A coligação de Amaro Neto conta ainda com com dois partidos que participaram do atual mandato de Luciano: o PTN e o PR. Na eleição de 2012, o PR havia indicado Waguinho Ito como vice de Luciano. Em 2013, porém, o vice-prefeito se transferiu para o PPS e se tornou correligionário do prefeito capixaba.

Luciano Rezende

O prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS), disputará o segundo turno com Amaro Neto (SD). Rezende tem 54 anos e é o atual prefeito de Vitória. Começou a carreira política em 1995, quando foi eleito vereador pela cidade. Foi reeleito duas vezes para o cargo, no qual permaneceu até 2008. No mesmo ano, disputou a prefeitura de Vitória pela primeira vez, mas ficou em terceiro lugar.

Tentou novamente em 2012 e conseguiu 39% dos votos em primeiro turno. Chegou ao segundo turno contra o tucano Luiz Paulo Vellozo Lucas e o derrotou com 52% dos votos válidos. Antes de ser político, Rezende, nascido em Cachoeiro do Itapemirim (ES), foi atleta de remo. No esporte, foi campeão brasileiro e sul-americano entre as décadas de 1970 e 1980.

Amaro Neto

Jornalista e apresentador de televisão, Amaro Rocha Nascimento Neto tem uma ainda curta história na política. Candidato pelo SD, Amaro Neto é conhecido localmente por apresentar programas policiais e com forte apelo popular. Em 2014 candidatou-se a deputado estadual. Na ocasião, foi eleito com o maior número de votos no estado.

Na Assembleia Legislativa, participa das comissões de Infraestrutura, Cultura, além de presidir a Comissão de Turismo e Desporto. Amaro Neto tem 40 anos e nasceu na capital capixaba.

Campo Grande

O deputado estadual Marquinhos Trad (PSD) e a vice-governadora Rose Modesto (PSDB) se enfrentam no segundo turno da disputa pela prefeitura de Campo Grande. A candidata Rose começou o primeiro dia de campanha para o segundo turno com reuniões no comitê do PSDB. Além de se reunir com coordenadores de campanha, a tucana se encontrou com dois candidatos que não passaram para o segundo turno. Além de apoio dos candidatos, Rose busca adesão dos eleitores que não compareceram para votar no primeiro turno.

Rose Modesto

Concorrente pela coligação Juntos por Campo Grande, Rose Modesto, vice-governadora, é a candidata do PSDB à prefeitura de Campo Grande. Seu vice é Cláudio Mendonça (PR). Em 2008, foi eleita vereadora do município e em 2012 foi reeleita. Em 2014, assumiu o cargo de vice-governadora de Mato Grosso do Sul.

Marquinhos Trad

O advogado Marquinhos Trad faz parte da coligação Sempre com a Gente, união entre o PSD/PEN/PHS/DEM/PTdoB/PMN/PTB e PPL. Ele assumiu o posto de vereador em 2004, foi secretário municipal de Assuntos Fundiários na gestão do então prefeito André Puccinelli. Em 2014, foi eleito pelo PMDB para o seu terceiro mandato de deputado estadual, mas migrou para o PSD neste ano.

Cuiabá

Emanuel Pinheiro (PMDB) e Wilson Santos (PSDB) disputam o segundo turno em Cuiabá. No primeiro turno, o candidato do PMDB teve 34,15% dos votos válidos e o tucano, 28,40%. O presidente estadual do PDT, o deputado Zeca Viana, defende que o partido apoie o candidato a prefeito Emanuel Pinheiro no segundo turno.

Wilson Santos

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB), eleito em 2014, é atual líder do governo na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). Formado em Direito pela Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), o candidato tem 55 anos e é natural de Dracena, São Paulo. Concorre pela coligação Dante de Oliveira, que reúne doze partidos. Seu vice é Leonardo de Oliveira, do PSB. Wilson exerceu mandato de prefeito de Cuiabá de 2005 a 2010 e já foi também vereador e deputado federal.

Emanuel Pinheiro

O peemedebista Emanuel Pinheiro já disputou o comando do Executivo local em 2000 e tenta pela segunda vez assumir o cargo de prefeito. O candidato é natural de Cuiabá, tem 51 anos, e é advogado. Pinheiro foi duas vezes vereador por Cuiabá e está no quarto mandato de deputado estadual. Foi presidente da comissão permanente do Poder Legislativo e secretário municipal de Trânsito e Transportes Urbanos (SMTU) de Cuiabá. Pinheiro faz chapa com o candidato a vice-prefeito Niuan Ribeiro (PTB).

Goiânia

Os candidatos Iris Rezende (PMDB) e Vanderlan (PSB) vão disputar o segundo turno das eleições municipais em Goiânia. Ambos já iniciaram as buscas por apoios para a próxima fase do pleito, e passaram a manhã da última segunda-feira (3) reunidos com as coordenações de suas campanhas. Até o momento nenhum apoio foi declarado.

Iris Rezende

Iris Rezende tem uma carreira consolidada na política. Ele já assumiu dois mandatos como governador de Goiás. Foi prefeito e vereador de Goiânia e deputado estadual. Rezende também já foi nomeado como ministro da Agricultura no governo de José Sarney e da Justiça na gestão de Fernando Henrique Cardoso. Rezende chegou a ter seu mandato cassado pelo regime militar, em 1969.  Em julho deste ano, o político de 82 anos chegou a anunciar o fim da sua carreira política, mas um mês depois voltou atrás. Ele concorre pela coligação Experiência e Confiança, fomada por seis partidos. Seu vice é Major Araújo.

Vanderlan

O empresário Vanderlan Cardoso (PSB), de 53 anos, participa da disputa pela coligação Uma Nova Goiânia, formada por 12 partidos. Seu vice é Thiago Albernaz, do PSDB. Vanderlan foi eleito prefeito de Senador Caneado (GO) em 2004 e reeleito em 2008. Em 2010 e 2014 concorreu ao governo de Goiás e saiu derrotado.

Aracaju

Os candidatos Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Valadares Filho (PSB) vão disputar o segundo turno das eleições em Aracaju. O atual prefeito da capital de Sergipe, João Alves Filho (DEM), que tentava a reeleição, ficou em terceiro lugar na apuração, com apenas 9,99% dos votos válidos. O quarto colocado foi Dr. Emerson (Rede), com 9,01%. 

Edvaldo Nogueira

Nascido em Pão de Açúcar, em Alagoas, Edvaldo Nogueira tem 51 anos e tenta voltar à prefeitura da capital sergipana. Em 2000, compôs a chapa de Marcelo Déda para a prefeitura da cidade, conquistando a eleição. No pleito seguinte, em 2004, a mesma composição de chapa foi reeleita. Em 2006, porém, Déda deixou a prefeitura para concorrer ao governo do estado, e Nogueira assumiu.

Após dois anos como prefeito, concorreu à reeleição e venceu Mendonça Prado (DEM). Antes de chegar à prefeitura, foi vereador em Aracaju entre 1992 e 2000. Filiado ao PCdoB, foi atuante no movimento estudantil e um dos fundadores do partido no estado. É médico cardiologista formado pela Universidade Federal de Sergipe.

Valadares Filho

É a segunda vez que o deputado federal Valadares Filho tenta a prefeitura de Aracaju. Na primeira, em 2012, ficou em segundo lugar. Está no segundo mandato na Câmara dos Deputados e disputa a prefeitura em uma coligação formada por 14 partidos. Valadares Filho é aracajuano, tem 35 anos e é filho do senador e ex-governador do estado, Antônio Carlos Valadares. Graduou-se em administração em 2006.

Como deputado federal, foi membro das comissões de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática e de Turismo e Desporto. Dentro do PSB, Valadares Filho foi presidente do Diretório Municipal de Aracaju e, anos depois, tornou-se presidente do Diretório Estadual.

Maceió

Dois dos sete candidatos que concorreram a prefeito no primeiro turno foram condenados em primeira instância por crimes investigados na Operação Taturana, deflagrada em 2007 pela Polícia Federal, mas recorrem da decisão. Um deles é o deputado federal e ex-prefeito Cícero Almeida, do PMDB, apoiado pelo governador Renan Filho e que está concorrendo ao segundo turno junto com o candidato Rui Palmeira (PSDB).

O outro candidato condenado em primeira instância é o deputado federal Paulo Fernando dos Santos, o Paulão (PT), que não chegou ao segundo turno.

O candidato a prefeito de Maceió pelo PSDB, Rui Palmeira, já iniciou sua campanha para o segundo turno com uma caminhada no bairro do Vergel. Segundo ele, as propostas sobre as alianças serão avaliadas nos próximos dias. Rui afirma que vai trabalhar pela conquista dos votos do eleitorado que optou por outros candidatos na primeira etapa da eleição.

Cícero Almeida, do PMDB, diz que sua equipe já está trabalhando e que espera contar com o apoio de JHC (PSB) neste momento. Almeida acredita que esse deve ser o único apoio à sua candidatura, porém ele não descarta um possível apoio do deputado federal Paulão (PT). O candidato já retornou às suas atividades parlamentares.

Cícero Almeida

Ex-apresentador de um programa policial de muita popularidade, Cícero Almeida (PMDB) virou vereador e deputado estadual, até ser eleito, em 2004, prefeito da capital, cargo para o qual foi reeleito com 81,5% dos votos válidos, a maior votação entre as capitais em 2008. Neste pleito, Cícero tem como candidato a vice-prefeito o deputado estadual Galba Novaes, também do PMDB, apesar de a coligação envolver 12 legendas.

Rui Palmeira

O atual prefeito de Maceió, Rui Palmeira, do PSDB, que busca a reeleição, não foi citado no processo dos Tatuaranas, mas tem um de seus principais aliados entre os condenados em primeira instância no caso: o deputado federal Arthur Lira (PP), que também é alvo de ação no âmbito da Lava Jato.

Eleito em 2012 em primeiro turno, o advogado Rui Palmeira é o primeiro tucano na prefeitura de Maceió, cargo que seu pai, Guilherme Palmeira, ocupou em 1988.

Recife

Os candidatos Geraldo Júlio (PSB) e João Paulo (PT) disputam o segundo turno das eleições municipais de Recife. Geraldo Júlio conta com o apoio do DEM e do PSDB no segundo turno, e João Paulo diz que pretende usar em sua campanha propostas dos candidatos derrotados no primeiro turno. Dentre as propostas, ele cita a revitalização dos Centros Sociais Urbanos, defendida pelo tucano Daniel Coelho, e as voltadas para creches apresentadas por Priscila Krause. 

Geraldo Júlio

Servidor concursado do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) e até então ocupante de cargos em secretarias e no Porto de Suape, o atual prefeito Geraldo Júlio (PSB) nunca tinha disputado uma eleição quando – em 2012 - foi vitorioso no primeiro turno com 51,15% dos votos válidos.

Ele teve o apoio do então governador de Pernambuco, Eduardo Campos, do Partido Socialista Brasileiro.Hoje, Geraldo Júlio disputa a reeleição apoiado por 20 partidos  – a Frente Popular do Recife, maior coligação do pleito. O atual vice, Luciano Siqueira (PCdoB), permanece na chapa que tenta a reeleição.

João Paulo

Operário metalúrgico e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores em Pernambuco, o economista João Paulo (PT) já foi prefeito de Recife, eleito no primeiro turno com 56,11% dos votos válidos. Posteriormente, foi eleito deputado federal no mandato encerrado em 2014. O último cargo de João Paulo foi o comando da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), que deixou em maio deste ano por causa do afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff. Nas eleições municipais deste ano, ele tem como vice o deputado estadual Sílvio Costa Filho (PRB) na chapa Recife Pela Democracia, formada por cinco partidos.

Fortaleza

A disputa para prefeito de Fortaleza segue para o segundo turno. Os eleitores da capital cearense terão de escolher entre o atual prefeito Roberto Cláudio (PDT) e o deputado estadual Wagner Sousa Gomes (PR), o Capitão Wagner. Cada um recebeu 40,57% e 31,37% dos votos válidos, respectivamente. Foram apuradas 89,25% das urnas. 

Roberto Cláudio

O médico sanitarista Roberto Cláudio tem 41 anos e foi eleito deputado estadual no Ceará em duas eleições seguidas: 2006 e 2010. Buscando a reeleição, ele traz para sua chapa o deputado federal Moroni Torgan (DEM) como vice-prefeito. Torgan disputou a Prefeitura nas eleições municipais passadas.

Eleito em 2012 com 650 mil votos, Roberto Cláudio, à época pertencente aos quadros do PSB, venceu, no segundo turno, Elmano de Freitas (PT). Sua campanha se pauta na continuidade dos projetos e programas do primeiro mandato, como a construção de mais moradias para população de baixa renda pelo Minha Casa Minha Vida.

Capitão Wagner

O militar reformado Wagner Sousa Gomes, o Capitão Wagner (PR), tem 37 anos. Foi eleito vereador de Fortaleza em 2012 e deputado estadual em 2014. Ele levanta o debate sobre segurança pública nesta eleição. O tema não é novidade nas disputas anteriores: Moroni Torgan foi um dos candidatos que abordaram o assunto de forma extensa.

Na sua campanha, Wagner ressalta que, embora o tema seja de competência do Governo do Estado, a Prefeitura pode dar sua contribuição por meio da Guarda Municipal e da instalação de videomonitoramento em logradouros, por exemplo. Seu vice é o empresário Gaudêncio Lucena (PMDB), atual vice-prefeito de Fortaleza.

São Luís

Candidatos à prefeitura de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e Eduardo Braide (PMN) retomam campanha para o segundo turno. Eduardo Braide fez uma coletiva à imprensa no auditório de um hotel da cidade, na última segunda-feira (3). Ele agradeceu os votos recebidos e a oportunidade de mostrar o seu plano de governo com mais tempo de propaganda eleitoral.

Já o candidato Edivaldo Holanda Júnior fez caminhada na Rua Grande, no centro de São Luís, cumprimentou os eleitores e agradeceu os votos recebidos no primeiro turno da eleição. Acompanhado de lideranças políticas, ele disse estar se reunindo com representantes de partidos para firmar futuros apoios políticos para o segundo turno

Edivaldo Holanda Júnior

O empresário Edivaldo Holanda Júnior tem 38 anos, é o atual prefeito de São Luís e busca a reeleição pelo PDT. Antes de chegar à prefeitura, em 2012, Holanda Júnior foi vereador por São Luís de 2005 a 2010. Foi reeleito em 2008 e afastou-se do cargo para concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados. Elege-se, então deputado federal com 104.015 votos, o mais votado na cidade de São Luís.

Eduardo Braide

Eduardo Salim Braide é deputado estadual pelo PMN. Nasceu em São Luís. É advogado, formado em direito pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Eduardo Braide foi diretor-presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) de 2005 a 2006 e vice­presidente nacional da Associação das Empresas de Saneamento Básico Estadual, no mesmo período.

Entre os anos de 2009 e 2010, Eduardo Braide exerceu o cargo de secretário municipal do Orçamento Participativo de São Luís. Deputado estadual em 2010 com 26.792 votos pelo PMN, foi o 2° vice­presidente da Assembleia Legislativa, no biênio 2013/2014. Assumiu a presidência do partido no estado do Maranhão em julho de 2012. Em 2014, Eduardo Braide foi reeleito deputado estadual com 47.519 votos.

Macapá

O prefeito de Macapá, Clécio Luiz (Rede), disputará o segundo turno contra Gilvam Borges (PMDB). Clécio anunciou nesta quinta-feira (6) ter recebido apoio de pelo menos 14 dos 23 vereadores eleitos para a Câmara Municipal. Dez são da coligação do próprio prefeito e outros quatro eram do arco de aliança da candidata Aline Gurgel (PRB), que ficou em terceiro lugar.

Clécio Luiz

Clécio Luiz, 44 anos, é natural de Belém (PA), mas mudou-se para Macapá ainda jovem. É o atual prefeito de Macapá e tenta a reeleição. Formou-se em geografia na Universidade Federal do Amapá e, no início dos anos 80, iniciou a trajetória política. Clécio foi candidato do PSOL à prefeitura de Macapá, em 2012, e venceu a eleição contra o então prefeito da cidade Roberto Góes, do PDT. Em 2016 deixou o PSOL e filiou-se à Rede.

Gilvam Pinheiro Borges

O brasiliense Gilvam Pinheiro Borges, de 58 anos, é formado em sociologia pela Universidade Federal do Pará e já foi deputado federal e senador. Em 1998, candidatou-se a governador do Amapá, ficando em terceiro lugar. O empresário Adiomar Veronese, do PROS, é seu candidato a vice. Em 2004, conseguiu a primeira eleição para vereador, sendo reeleito em 2008. 

Belém

Os candidatos Zenaldo Coutinho (PSDB) e Edmilson Rodrigues (PSOL) vão disputar o segundo turno das eleições para a prefeitura de Belém (PA). Zenaldo afirma que, caso eleito, dará continuidade a obras que estão sendo realizadas durante seu mandato, especialmente projetos viários como o BRT e a obras de saneamento como a macrodrenagem nas bacias da Estrada Nova e no Tucunduba através de parceria com o governo do estado.

Edmilson ressalta a necessidade de criação de programas sociais para atender a população vulnerável, mas também se posicionou favorável à criação de uma secretaria municipal de segurança pública e de um serviço de água e esgoto municipal, nos moldes do antigo Saaeb, que foi cedido para a Cosanpa.

Zenaldo Coutinho

O atual prefeito, Zenaldo Coutinho (PSDB), 55 anos, concorre pela coligação União Por Uma Belém do Bem, composta pela união de 15 partidos. No pleito pela prefeitura, tem como vice Orlando Reis (PSB). Começou na vida política como vereador, em 1982, aos 21 anos. Após dois mandatos consecutivos no cargo, atuou como deputado estadual do Pará de 1991 a 1999. Como deputado federal, teve quatro mandatos consecutivos, de 1999 a 2012.

Edmilson 

Candidato do PSOL pela coligação Juntos Pela Mudança (PSOL, PDT, PPL e PV). Edmilson Brito Rodrigues, 59 anos, tem como candidato a vice Allan Pomo (PDT). Edmilson é deputado federal desde janeiro de 2015. Como deputado estadual do Pará, esteve na Assembleia Legislativa em dois momentos: de 1989 a 1994 e de 2011 a 2015. Também já foi prefeito de Belém de 1997 a 2004.

Manaus

Os candidatos Artur Neto (PSDB) e Marcelo Ramos (PR), que disputam a Prefeitura de Manaus no segundo turno das eleições 2016, se preparam para campanha e se articulam para o pleito. Neto, candidato à reeleição, disse estar aberto ao diálogo com os outros candidatos e que pretende seguir com a mesma postura adotada no primeiro turno. 

O candidato Marcelo Ramos diz que o momento é de articulação e conversa para possíveis alianças. Sua campanha neste segundo turno deve seguir com reuniões setoriais, caminhadas e apresentação de propostas.

Arthur Neto

Candidato pela coligação Por Uma Só Manaus, Arthur Neto (PSDB) venceu as eleições de outubro de 2012 após ir a segundo turno com a senadora Vanessa Graziottin, do PCdoB. Antes disso, já havia sido senador do Amazonas de 2003 a 2011, deputado federal de 1995 a 2003 e prefeito de Manaus de 1989 a 1993. Como vice, a chapa traz o peemedebista Marcos Rotta.

Marcelo Ramos

Advogado e professor universitário, Marcelo Ramos (PR) concorre por meio da coligação Mudança Para Transformar. Especializado em direito trabalhista, Marcelo foi vereador na Câmara Municipal de Manaus e deputado estadual de 2011 a 2015. A chapa tem como vice Josué Neto, filiado ao PSD.

Porto Velho

O empresário Dr. Hildon (PSDB), candidato à prefeitura de Porto Velho (RO), vai disputar o segundo turno com o candidato do PTB, o deputado estadual Léo Moraes. O atual prefeito, Dr. Mauro (PSB), ficou em terceiro lugar, com 24,18% dos votos válidos.

Dr. Hildon

O empresário Hildon de Lima Chaves, de 48 anos, ou Dr. Hildon (PSDB), como é mais conhecido, concorre pela coligação Juntos por uma Porto Velho melhor. Edgar do Boi, do PSDC, concorre a vice-prefeito. Dr. Hildon já foi promotor de Justiça e hoje é dono de uma rede de ensino. Esta é a primeira vez que ele disputa uma eleição.

Leo Moraes

Formado em direito, Leonardo Barreto de Moraes (PTB), de 32 anos, é filho do ex-deputado estadual Paulo Moraes. Concorre pela coligação Abrace Porto Velho e tem como candidato a vice Dr. Amado, do PP. Eleito em 2012 vereador de Porto Velho, Moraes deixou o posto dois anos depois para assumir mandato de deputado estadual, que detém até hoje. Na Assembleia Legislativa, é presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania e vice-presidente da Comissão de Segurança Pública.

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário