Digite sua busca e aperte enter


compras na internet

Imagem:

Compartilhar:

Black Friday ou Black Fraude? Saiba como não ser enganado na compra

Criado em 26/11/14 18h38 e atualizado em 27/11/14 08h53
Por Rádio Senado

computador mídias sociais
computador mídias sociais (kropekk_pl / creative commons)

Sexta-feira (28) é dia de megapromoção de produtos vendidos pela internet. Inspirado na Black Friday, tradicional dia de liquidação nos Estados Unidos, que acontece todos os anos na primeira sexta-feira depois do dia de Ação de Graças, a data, no Brasil, tem dado muita dor de cabeça aos consumidores.

Orgãos de defesa do consumidor dão dicas para evitar problemas na Black Friday

No quadro Tribuna do Consumidor, da Rádio Senado, a coordenadora institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), Maria Inês Dolci, dá dicas de como evitar que a data se transforme em uma “black fraude”.

 

Creative Commons - CC BY 3.0 -

A coordenadora da Proteste dá dicas importantes para evitar problemas com as compras durante as promoções da Black Friday:

- Algumas lojas aumentam os preços às vésperas da Black Friday para depois conceder um "desconto" fictício. Quem está interessado em aproveitar preços menores deve fazer uma lista prévia do que deseja adquirir durante a promoção com os preços médicos, marca e características do produto. Assim, durante a promoção, fica mais fácil avaliar se o desocnto é de fato vantajoso;

- Outra dica de Maria Inês é comprar apenas em sites confiáveis, preferencialmente aqueles com os quais o consumidor já teve experiências bem sucedidas. O risco é pagar pelo produto e depois não receber;

- Por causa do grande volume de compras, muitos sites atrasam o prazo de entrega previsto inicialmente. O consumidor deve estar atento ao prazo informado e imprimir o pedido. Não feita a entrega, o consumidor pode denunciar nos órgãos de defesa do consumidor;

- Mesmo seguindo as dicas para uma compra segura, Maria Inês Dolci alerta para o risco do endividamento, já que muitas pessoas adquirem produtos mesmo sem necessidade.

Leia também:

Hackers usam tecnologia para combater violência contra a mulher

Entidade ligada à ONU diz que preços da internet e do celular são muito altos

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade