Digite sua busca e aperte enter


Imagem:

Compartilhar:

Privacidade na rede: conheça ferramentas para se proteger

Criado em 10/07/15 19h29 e atualizado em 10/07/15 20h36
Por Davi de Castro Fonte:Portal EBC

Toda ação gera uma reação. Na internet, podemos facilmente aplicar a máxima da terceira lei de Newton no que se refere ao comportamento dos usuários e seu relacionamento com os mais variados sites e redes sociais. O acesso a determinada página ou o clique em um simples link, por exemplo, deixam rastros e geram dados que podem ser coletados pelas mais variadas corporações ao redor do mundo. 

Preocupados com a privacidade na rede e a vigilância em massa exercida por gigantes do mercado digital, os pesquisadores e ativistas Joana Varon, Lucas Teixeira e Fernanda Shirakawa criaram o movimento Antivigilância.org, uma rede que visa promover discussões e conscientizar a população, por meio de oficinas, sobre como navegar de forma mais segura e com o máximo controle possível sobre seus dados. “Muitas redes e sites são gratuitos, mas, na verdade, o custo está nas nossas informações”, observou Fernanda durante a oficina realizada no 16º Fórum Internacional Software Livre (Fisl 16). 

“Na era digital qualquer passo que a gente dá acaba sendo registrado em forma de dados e metadados, que são dados sobre os dados, e toda essa informação está sendo agregada, compilada e analisada, seja por empresas ou por estados, que podem utilizá-la contra nós e contra direitos fundamentais”, disse a pesquisadora Joana. Os dados coletados na rede servem para traçar um perfil do usuário, com seus hábitos, preferências e informações pessoais, e podem servir para o direcionamento de anúncios publicitários e outros interesses. 

Assista à entrevista com os participantes do Antivigilância realizada no Periscope

Para os ativistas, ferramentas e, principalmente, a adoção de uma postura mais cautelosa são fundamentais para a segurança e a privacidade no mundo digital. Eles também apontam a necessidade de uma legislação sobre o tema. O Ministério da Justiça encerrou no último dia 5 de julho uma consulta pública sobre o anteprojeto de lei de proteção de dados pessoais. “É importante que esse projeto seja encaminhado do Executivo para o Legislativo para que o Brasil continue evoluindo. É um texto bom e atende os padrões europeus de proteção da privacidade, que são uma referência”, avaliou Joana. 

Conheça ferramentas para se proteger

Os ativistas do Antivigilância apresentaram alguns plugins e ferramentas que auxiliam a identificar e bloquear o rastreamento e a coleta de dados por cookies na internet. Fernanda, no entanto, ressalta que “são ferramentas para ajudar, mas o que assegura mesmo é o comportamento do usuário”.

O programador Lucas Teixeira destaca que é importante usar softwares livres. “As ferramentas livres têm o código-fonte aberto e tendem a não monitorar seus usuários”, disse. Ele explica que as linhas de funcionamento desses programas são visíveis e se houver aplicações indesejadas ou danosas é possível fazer modificações. Os participantes do movimento também recomendam a leitura do Tem Boi na Linha?, um guia prático de combate à vigilância na internet. Conheça as ferramentas:

- Trackography: apresenta as conexões indesejadas que o acesso a determinados veículos de notícia traz. No Brasil, foram analisados 10 sites noticiosos.

- Immersion: analisa metadados do e-mail do usuário e fornece um panorama da dimensão que essas informações têm. A partir da análise, mostra um histórico das conexões pessoais e profissionais.

- Lightbeam: extensão do Firefox que identifica e apresenta todas as conexões indesejadas dos sites acessados pelo usuário. Por exemplo: você acessa um site x e seus dados são coletados também pelos sites y e w.

- Unblock.org: extensão para instalar em navegadores que bloqueia propagandas e anúncios indesejados

- Privacy Badger: extensão para navegadores que desconecta e bloqueia scripts de terceiros

- Account Killer: deleta contas pessoais de diversos serviços e redes que um dia você já usou e que ainda guardam seus dados.

- Tor: navegador de software livre que mantém o anonimato ao se usar a internet, protegendo a privacidade. 


*a EBC participa da 16ª edição do Fisl como apoiadora do evento, que acontece entre 8 e 11 de julho em Porto Alegre.

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário