X

Digite sua busca e aperte enter


Imagem: Reprodução

Compartilhar:

Twitter: entenda a rede que transformou a comunicação na última década

Criado em 21/03/16 19h10 e atualizado em 21/03/16 21h28
Por Ana Elisa Santana Fonte:Portal EBC

Apenas 140 caracteres para falar tudo o que você precisa. Impossível? Nada disso. Essa missão ganha cada vez mais adeptos no Twitter, rede social que neste 21 de março completa 10 anos e carrega uma história que revolucionou a maneira de transmitir informações pela internet.

A rapidez e praticidade para publicar mensagens fizeram com que, no decorrer da última década, o Twitter se consolidasse como uma ferramenta para ativismo, sendo utilizada para reunir grupos de fãs, torcidas e até mesmo movimentos sociais. A hashtag, mecanismo que na rede funciona como um link para agregar conteúdo de mesmo assunto, no início reunia dicas de músicas às segundas-feiras com o #MusicMonday, e convidava os usuários a indicarem perfis interessantes às sexta-feiras, com o #FollowFriday.

Com o tempo, a hashtag passou a ser usada por outras redes sociais, como o Facebook e o Instagram, e se tornou uma forma de mobilização em manifestações e campanhas, como a brasileira #VemPraRua, que se popularizou em junho de 2013, aquelas que durante as eleições tinham os nomes dos candidatos acompanhados de seus números, ou a #OiOiOi, que fazia referência à música de abertura da novela Avenida Brasil, transmitida em 2012, que provocou grande movimentação entre os adeptos aos tuítes.

Em escala mundial, recentemente se destacaram também #LoveWins, lançada após a aprovação do casamento homoafetivo nos EUA e usada como arma de combate à homofobia, #BlackLivesMatter, em protesto contra a morte de negros pela polícia nortena, e #PrayForParis, que se popularizou como forma de enviar solidariedade aos franceses após os atentados em Paris, em novembro de 2015.

Em comemoração à primeira década de funcionamento, hoje o perfil oficial do Twitter publicou um vídeo em que relembra algumas dessas hashtags e a difusão de informações pela rede nos últimos anos:

 

 

Evolução

Segundo a pesquisadora e autora do livro "A conversação em rede", Raquel Recuero, a hashtag é uma ferramenta antiga, mas ganhou força com a apropriação do Twitter. "No caso específico do Twitter, ela surgiu principalmente com a função contextual, de agregar determinado tipo de conteúdo e possibilitar que o acesso a conversação. Mas hoje tem inúmeras outras funções", explica. 

Raquel Recuero
Raquel Recuero, pesquisadora e autora do livro "A conversação em rede". Foto: Matheus Pirajá/UFBA

 

Para Raquel, a influência do Twitter começa na simples troca de mensagens e se desdobra até atingir outros veículos de comunicação: "o Twitter também tem um papel muito importante no ecossistema de mídia como influência em outros canais, como o próprio Facebook e até mesmo a televisão", diz. Os números confirmam: de acordo com informações de uma pesquisa do Conecta, do Ibope Inteligência, divulgada em 2015, 88% dos brasileiros navegam na internet enquanto assistem à televisão; 72% utilizam as redes sociais e 17% navegam na internet ao mesmo tempo em que veem TV para comentar e interagir com outros usuários sobre que está sendo transmitido. 

 

 

A facilidade para coletar dados no Twitter é um ponto positivo também para os profissionais que estudam opinião e comportamento de usuários. "O Twitter é um dos sites de rede social mais abertos para a pesquisa e a coleta de dados e isso auxilia bastante se considerarmos que essas ferramentas podem ser compreendidas como espaços públicos, onde a informação pública leva ao debate e a posicionamentos dos atores", afirma Raquel. 

Recuero afirma que muitos fatores têm sido estudados na rede, como o papel da ferramenta para auxiliar a difusão de informaçòes em desastres naturais, situações de emergência, ações políticas, protestos, mobilizações e até mesmo comportamentos de consumo. "Um dos principais movimentos que vejo em cima disso (e de outras ferramentas) é a popularização de uma área denominada 'ciência de dados' ou data science", relata.

Nostalgia

Um fator recorrente no Twitter é a relação afetiva que muitos dos usuários têm com a rede social. Na noite de domingo (20/3), quando foi lançada a hashtag #LoveTwitter em homenagem ao aniversário de 10 anos, muitos aproveitaram para relembrar momentos que tiveram no site. O perfil que homenageia a atriz Nair Bello, morta há nove anos, estimulou seus seguidores:

A onda de lembranças continuou ao longo desta segunda-feira, com a hashtag #QuandoChegueiNoTwitter:

Durante os últimos 10 anos, muitas mudanças ocorreram na rede: a republicação de mensagens, chamada de retuíte (retweet), era feita de forma manual e hoje tem um botão específico. Para publicar fotos, era necessário ter outro aplicativo, o Twittpic, e na época em que nem todos os telefones celulares tinham acesso à internet, era possível postar tuítes por meio de SMS - serviço que era oferecido por algumas operadoras. Hoje, a ferramenta tem todos os serviços incorporados, incluindo inclusive a possibilidade de publicação de gifs e vídeos.

Há algumas especulações sobre o futuro, que envolvem até mesmo o fim da sua marca, as mensagens de 140 caracteres, com a ampliação do limite de letras a cada tuíte. No entanto, segundo Raquel Recuero, com a criatividade que os usuários do Twitter já demonstraram ter, ainda não é possível avaliar se isso tiraria a identidade da rede. "Acho que vai ser preciso examinar isso diante da apropriação das pessoas. Tenho dúvidas sobre o impacto que isso terá na ferramenta", diz.

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário