MEC vai oferecer curso online de inglês para candidatos a bolsa no exterior

Heloisa Cristaldo - Agência Brasil 18.12.2012 - 19h26 | Atualizado em 19.12.2012 - 08h17

Dicionário em inglês (Chris Beckett/Creative Commons)

Brasília -  O governo federal vai aplicar 500 mil testes de nivelamento de proficiência em língua inglesa até 2014. A medida faz parte do Programa Inglês sem Fronteiras, lançado hoje (18) pelo ministro da Educação Aloizio Mercadante, e vai auxiliar os candidatos do Programa Ciência sem Fronteiras a garantir bolsas em universidades no exterior.

A primeira etapa do Inglês sem Fronteiras deve começar em fevereiro do ano que vem e dará 100 mil bolsas de curso de inglês online a estudantes de cursos de graduação, independente da área de formação. O curso My English Online será oferecido pelo portal de periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Os critérios para obtenção das bolsas serão definidos pelo Ministério da Educação (MEC).

Ouça reportagem sobre o Inglês sem Fronteira

Para os estudantes que pleiteiam uma vaga no Ciência sem Fronteiras e tiraram mais de 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o curso será presencial. Os locais de curso serão definidos pelo MEC. Segundo Mercadante, a ideia é ampliar a oferta do curso online de inglês aos estudantes do ensino médio e, posteriormente, incluir alunos do ensino fundamental.

Os testes de nivelamento serão aplicados por instituições de educação superior certificadas. Os aplicadores passaram por capacitação específica e, até o momento, 23 instituições receberam a certificação. Ao longo do programa, serão desenvolvidas ações de credenciamento das instituições de educação superior para aplicação dos testes de proficiência exigidos para o intercâmbio, como o Test of English as a Foreign Language (Toefl) e o International English Language Testing System (Ielts).

Uma terceira medida anunciada foi o cartão pré-pago, nova forma de pagamento das bolsas do Ciência sem Fronteiras. O cartão é fruto de parceria do MEC com o Banco do Brasil e Banco do Brasil Américas. Na cerimônia, dez bolsistas da Capes, e cinco do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação receberam os primeiros cartões do programa. Atualmente, 30 mil bolsistas podem ser beneficiados com o cartão, em mais de 30 países. Ao todo, estão previstas 101 mil vagas em diversas modalidades até 2015.

O novo sistema permite o pagamento das bolsas de estudos por meio do crédito em conta-corrente do estudante no exterior. Com ele, serão reduzidos os custos dos bolsistas e eliminada a necessidade de abertura de contas e pagamento de tarifas em bancos no exterior. O cartão pode ser usado em todos os países que aceitam a bandeira Mastercard e possibilita depósitos de outras fontes, como de parentes.

O primeiro a receber o cartão foi Adarley Luiz Grande, de 19 anos, estudante de engenharia da computação da Universidade de Brasília (UnB). O universitário vai fazer intercâmbio na University of Albany, localizada no estado de Nova York, nos Estados Unidos. Adarley embarca dia 15 de janeiro e diz estar preparado para o frio. “[Estou] ansioso para ver a neve pela primeira vez”.

Edição: Fábio Massalli

  • Direitos autorais: Creative Commons - CC BY 3.0