Digite sua busca e aperte enter


Imagem:

Compartilhar:

Enem: saiba quais são os conteúdos mais frequentes nas provas

Criado em 03/11/16 16h33 e atualizado em 04/11/16 09h49
Por Bruna Ramos e Yuri Moura* Edição:Ana Elisa Santana Fonte:Portal EBC

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) se aproximam e, no ajuste dos últimos detalhes antes do grande dia, é a hora de fazer as últimas revisões. 

Treine com todas as questões que já apareceram no exame pelo nosso aplicativo Questões Enem

Uma ampla lista de conteúdos e habilidades aparece no edital do Enem, no entanto, há aqueles temas que são figurinhas carimbadas entre as 180 questões, e são vistos com mais frequência no decorrer dos anos. O Portal EBC conversou com professores de Ensino Médio e cursinhos preparatórios para saber quais são os conteúdos que mais caem no Enem. Saiba quais são eles:

Língua Portuguesa

A prova de língua portuguesa é dividida entre gramática e literatura, mas a interpretação de texto é a campeã não só na prova de Linguagens e suas Tecnologias, mas em todas as provas do Enem. Ainda assim, é importante conhecer bem os contéudos de morfologia e sintaxe, além das escolas literárias. Nem todas as respostas aparecem com uma boa leitura dos textos dos enunciados.

A prova de Literatura é elaborada majoritariamente em cima dos autores modernistas, que são estudados no terceiro ano, aponta a professora Zaira Dirani do Colégio Sagrado Coração de Maria - Brasília.

“Sessenta por cento da prova é sobre estes escritores. Das 17 provas do Enem, Carlos Drummond de Andrade foi cobrado em 16. Manoel Bandeira, Oswald de Andrade e Cecília Meirelles também são recorrentes”, afirma. "Aos autores contemporâneos, como Chacal, Ferreira Gullar e Manoel de Barros, pelo menos três questões são reservadas", diz Zaira.

Entre os conteúdos do primeiro ano, o exame cobra sempre função de linguagem, figuras de linguagem e somente um autor, que frequentemente é o Gregório de Matos, avalia a professora de Literatura. “No segundo ano costumam cobrar Machado de Assis e um autor parnasiano ou simbolista, como Cruz e Sousa”.

Língua Estrangeira

Nas provas de Língua Estrangeira o Enem foca no objetivo do uso da língua, ou seja, aquilo para o que precisamos utilizar o inglês ou o espanhol no nosso cotidiano. “Os alunos estudam de forma conteudista, mas a prova foca em habilidades e competências”, opina o professor Ricardo Tobé.

Segundo ele, focar nas habilidades é a primeira dica para a realização de uma boa prova. Baseado nas edições anteriores, Tobé afirma que dentre as habilidades cobradas no conteúdo de estudo, a H5 e a H8 são as que aparecem com mais frequência nas questões da prova. “O Enem foca muito na H5, que associa vocábulos e expressões ao seu tema e na H8, que associa os aspectos culturais da língua a uma temática social”, analisa.

Ciências Humanas

A prova de humanidades do Enem vem com questões bem relacionadas, e muitas delas chegam a misturar os temas de mais de uma disciplina. Quando se fala em Sociologia, elas aparecem atreladas a três eixos: identidade cultural e movimento sociais, trabalho e produção e os aspectos que envolvem democracia, as leis e formação do Estado. Segundo o professor Reiner Godoy, do Colégio Alub, esses temas englobam também a filosofia: "Geralmente estão focadas em uma dessas três análises: 1) os movimentos sociais e seus efeitos, sua formação; a identidade cultural, e aí pode ser tanto a cultura brasileira quanto a formação cultural; 2) a revolução industrial, neocolonialismo já no século XIX e aí as questões trabalham as formas de produção, a vida dos trabalhadores, a formação dos movimentos trabalhistas e os modos de produção; e 3) como nasce o estado, a formação das leis, a necessidade e a importância das leis e a própria democracia, como foi formada a democracia, sua relevância, a sua importância”.

De acordo com o professor Godoy, “se o aluno entender bem quais são as ideias básicas das propostas de Estado, de lei, de governo nas áreas clássicas, absolutistas, liberais e marxistas ele vai conseguir facilmente responder as questões”.

O conteúdo de História costuma ser muito extenso, e é importante ter conhecimento de todo o conteúdo aprendido nos três anos do Ensino Médio. A aposta para os temas mais frequentes nas provas, no entanto, são sempre relacionados à República Velha, à Era Vargas e à Ditadura Militar, segundo o professor Tiago Diana, do Colégio Projeção. "Quando a gente olha as últimas provas do Enem, a gente vê que o conteúdo mais recorrente é o que o aluno estuda no terceiro ano do Ensino Médio, o mundo mais contemporâneo, coisas que aconteceram do século XX até hoje", diz.

Como em todas as outras disciplinas, a prova de Geografia do Enem envolve muita concentração, leitura e interpretação. Segundo o professor Flávio Bueno, do Colégio Sigma, as questões mais recorrentes estão relacionadas à geografia física do Brasil, como hidrografia, solo, relevo, questões ligadas ao meio ambiente e utilização econômica de determinados tipos de relevo (como a exploração de áreas de bacias hidrográficas).

“Em geral, (em Geografia) são questões que dependem de uma contextualização com um fato ligado a uma prática econômica. Por exemplo, a questão da exploração econômica do relevo para a produção de gêneros agrícolas específicos; ou os problemas ambientais que são recorrentes de uma prática agrícola como o assoreamento, a retirada da cobertura vegetal, questões ligadas ao uso de agrotóxicos”, explica.

O professor destaca ainda que é fundamental que o aluno entenda não apenas o conceito, mas a problematização de questões vivenciadas pela sociedade e que podem ser cobradas na prova. “O conceito é fundamental. Mas você precisa compreender a relação entre conceito e como o fenômeno age no dia a dia da população”, salienta.

Ciências da Natureza

Física, Química e Biologia se unem na prova que é temida por boa parte dos estudantes que fazem o Enem. “Normalmente as pessoas consideram a prova de Química a mais difícil”, relata Jônatas Gonçalves, professor do Pódion. Segundo ele, um dos pontos difíceis da prova é o aluno conseguir ler a questão e entender o que está sendo cobrado. Por isso, acredita ser fundamental o aluno se dedicar também à interpretação das questões, além do conteúdo em si.

Segundo o professor, quatro assuntos caem sempre nas provas de Química do Enem: separação de misturas, regulação de PH, cálculo estequiométrico e soluções (análise de concentração das soluções). Outras questões abordadas com frequência são aquelas que envolvem química orgânica. “Geralmente, classificação das cadeias orgânicas, identificação de funções orgânicas e isomeria”, opina.

Dono de um canal no YouTube com vídeos sobre a disciplina, com foco no Enem e no vestibular, Jônatas considera as questões que envolvem análise matemática as mais difíceis da prova. “Os alunos costumam ter dificuldade com estequiometria e soluções, já que esses conteúdos demandam muito tempo em exercícios e não apenas numa teoria”, conta. Para evitar a perda de tempo em certas questões, Gonçalves dá uma dica que considera preciosa para todas as provas: 

“O aluno tem que aprender a olhar as alternativas na hora de escolher a reposta. Muitas vezes ele consegue perceber, ainda sem terminar uma conta, qual é a resposta. Outra parte importante é ele já descartar as que com certeza estão erradas”.

Para quem não tem tanta afinidade com exatas, a prova de Física chega a ser um temor. Mas nada que muito estudo e dedicação não resolvam. Nessa reta final, para ajudar o aluno a se organizar na hora de estudar, o professor William Santos Cruz, do Colégio Sagrado Coração de Maria, ressalta que os assuntos mais recorrentes são energia, termodinâmica, eletricidade, ondulatória, cinemática, óptica, dinâmica, hidrostática e eletromagnetismo. “Em geral, costumam ser cobradas em questões contextualizadas, procurando dar uma aplicabilidade dos conceitos estudados”, afirma.

A dica do professor é de que quando o aluno estiver estudando sobre um determinado conceito, ele pesquise as aplicações deles. “Hoje em dia a internet é uma ótima ferramenta para isso, desde videoaulas até um infinito arquivo de experimentos onde esses conceitos são aplicados e explicados. O aluno não deve se prender a questões de matemática rebuscada; a maioria das questões são de cunho teórico, por isso entender o conceito e saber como ele é aplicado garante ao aluno boa parte da prova de física”, conclui.

Matemática

As provas de Matemática do Enem costumam trazer questões que simulam situações do cotidiano dos estudantes. Por isso, a recomendação do professor Gustavo Candeia, do Colégio Alub, é que o candidato revise, também, a parte teórica das questões mais cobradas nas provas dos anos anteriores. “Para se sair bem no exame, acertando o maior número de questões possível, o candidato deve ter, além de tudo, uma excelente interpretação de texto. A teoria, bem consolidada, será o diferencial para a aprovação”.

Segundo Candeia, os dez conteúdos de matemática mais cobrados no exame são: proporcionalidade (regra de três); porcentagem; análise de gráficos e tabelas; geometria plana (ênfase no cálculo de áreas de superfícies); geometria espacial; análise combinatória; probabilidade; estatística; função quadrática; matemática básica (multiplicação, divisão, propriedades algébricas).

A prova apresenta questões com diversos graus de dificuldade. “Das 45 questões de matemática, umas 5 serão difíceis. A maioria tem um grau de dificuldade médio ou fácil”, opina o professor. Como tática, ele orienta que os alunos se concentrem primeiro nos itens mais fáceis, deixando os mais difíceis para os momentos finais da prova.

 

*estagiário sob supervisão
**Colaborou Líria Jade

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade