Digite sua busca e aperte enter


Compartilhar:

Ajustes na pista adiam para o domingo evento-teste de ciclismo BMX

Criado em 02/10/15 20h10 e atualizado em 02/10/15 20h10
Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil Edição:Aécio Amado Fonte:Agência Brasil

O Desafio Internacional de BMX, ou bicicross, evento-teste dessa categoria de ciclismo para os Jogos Olímpicos de 2016, não ocorrerá mais amanhã (3). O Comitê Organizador Local (COL) informou que em atendimento a sugestões feitas hoje (2) por alguns atletas, serão feitas modificações na pista, com objetivo de “tornar a competição mais interessante e a pista mais segura”. Com isso, todas as etapas da competição será no domingo (4), no Centro Olímpico de BMX, no Complexo Desportivo de Deodoro, na zona oeste do Rio.

O desafio envolve treinos oficiais cronometrados, tomada de tempo individual na pista, fases classificatórias, encerrando-se com a classificação das baterias finais. A competição reúne 92 atletas de 26 países, sendo 70 nas equipes masculinas e 22 nas femininas. Praticada com bicicletas de aro 20 ou 24, a competição de BMX se dá em uma pista com obstáculos, parecida com a de motocross, segundo a Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC).

Desafio Internacional de BMX, ou bicicross, evento-testepara os Jogos Olímpicos de 2016

Desafio Internacional de BMX, ou bicicross, evento-teste para os Jogos Olímpicos de 2016. Atletas da equipe brasileiraMaximiliano Blanco/Confederação Brasileira de Ciclismo

A seleção brasileira no evento-teste é formada pelos atletas Renato Rezende, Rogério Reis, Anderson Ezequiel e André Fassina, na bateria masculina, e Priscilla Carnaval, Bianca Quinalha e Thaynara Morosini, representando as mulheres. O traçado masculino tem 399 metros, enquanto o feminino tem 372 metros.

O carioca Renato Rezende, que há dois anos mora nos Estados Unidos, onde se dedica integralmente ao ciclismo BMX, é o atleta que tem mais chances de conquistar uma medalha olímpica em 2016, segundo a Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro. Ele é o único atleta brasileiro que conseguiu uma medalha de ouro em uma Copa do Mundo de BMX. O assessor de imprensa do atleta, André Piva, disse que este ano, Rezende figurou entre os 15 melhores do ranking mundial. “Ele está bem focado para conquistar o melhor resultado”, afirmou.

De acordo com o COL, mais do que uma competição, o evento-teste se destina a checar as operações que envolvem a prova. No ciclismo BMX, estão sendo testados a disputa esportiva, os resultados, controle antidoping, a participação dos 58 voluntários que atuarão na Olimpíada e a apresentação da prova pelos locutores em português e inglês.

A modalidade BMX se tornou olímpica em 2008, em Pequim, na China. Renato Rezende foi o primeiro brasileiro a participar de uma disputa de BMX em uma Olimpíada, em 2012, em Londres, Inglaterra.

Editor Aécio Amado
Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário

Publicidade