Digite sua busca e aperte enter


Ministro Luiz Fux, do STF

Imagem:

Compartilhar:

Fux vota contra novo julgamento do mensalão

Criado em 11/09/13 18h30 e atualizado em 11/09/13 19h09
Por Heloisa Cristaldo Edição:Carolina Pimentel Fonte:Agência Brasil

Ministro Luiz Fux, do STF
Para o ministro, a demora na conclusão do processo com os novos recursos poderá fazer com o julgamento caia em descrédito pela sociedade. (Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

Brasília -  O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, votou contra a aceitação dos embargos infringentes, que podem reabrir o julgamento para 12 réus condenados na Ação Penal 470, processo do mensalão.

Leia também

Mensalão: três ministros do STF votam a favor de recurso que pode reabrir julgamento

Ministro Luís Roberto Barroso vota a favor de segundo julgamento do mensalão

STF avalia se condenados no mensalão têm direito a novo julgamento

Para Fux, acolher o recurso criará uma “generalizada desconfiança” na Suprema Corte. Segundo o ministro, o duplo grau de jurisdição não pode ser estendido para este tipo de interpretação proposta.
 

“O mesmo plenário se debruçaria sobre as mesmas provas, o que caracterizaria uma revisão criminal”, avalia. Fux ainda questionou se "o segundo julgamento seria melhor", que o já concluído pela Corte. “Nós nos debruçamos aqui 50 sessões para o julgamento desse processo”.
 




Luiz Fux também analisou as consequências do acolhimento do recurso, ao contabilizar que o STF tem 400 ações penais originárias, que caberiam os embargos infringentes. Em diversas ocasiões, o ministro questionou a teoria de que o não acolhimento dos embargos infringentes violaria o princípio do duplo grau de jurisdição, direito do réu de ser julgado mais de uma vez, por tribunais diferentes.

Para o ministro, a demora na conclusão do processo com os novos recursos poderá fazer com o julgamento caia em descrédito pela sociedade. Ao citar as mais de 50 sessões do processo, Fux ressaltou que “o julgamento mais longo da história do Supremo Tribunal Federal se revelou extremamente eficiente sob a ótica de todas as garantias constitutcionais”. Para Fux, acolher os embargos seria “rejulgamento da matéria como se sua primeira manifestação tivesse sido apenas um ensaio”.

 

Edição: Carolina Pimentel

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário