Digite sua busca e aperte enter


Membros das Farc viajam à Noruega para acordo de paz com o governo colombiano

Imagem:

Compartilhar:

NSA espionou a Venezuela, a Colômbia e as Farc, denuncia jornal

Criado em 04/11/13 13h09 e atualizado em 04/11/13 13h30
Por Da Agência Brasil*

Membros das Farc viajam à Noruega para acordo de paz com o governo colombiano
De acordo com notícia divulgada sábado (2) pelo jornal norte-americano The New York Times, os Estados Unidos levaram a cabo uma operação chamada Orlandocard e criou um sistema chamado “honeypot” para interceptar mais de mil e-mails colombianos que classificaram como "de potencial interesse futuro" (Télam)

Brasília - A Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos conduziu uma missão que sobrevoou a Colômbia para informar o governo sobre a localização e os planos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). O órgão também espionou a Venezuela para evitar que o país, então sob governo do presidente Hugo Chávez, “se tornasse uma liderança regional”.

De acordo com notícia divulgada sábado (2) pelo jornal norte-americano The New York Times, os Estados Unidos levaram a cabo uma operação chamada Orlandocard e criou um sistema chamado “honeypot” para interceptar mais de mil e-mails colombianos que classificaram como "de potencial interesse futuro".

Leia outras notícias internacionais

A espionagem da NSA em relação à Venezuela se concentrou nas relações econômicas com a China, a Rússia e o Irã, segundo o jornal. Outros focos de interesse da agência na América Latina foram organizações criminosas, especificamente redes de narcotráfico, rastreadas da Colômbia, do Equador, do Panamá e da Jamaica até o Canadá e os Países Baixos.

O escândalo de espionagem da NSA foi desencadeado no início de setembro, quando foram divulgadas informações de que a presidenta brasileira, Dilma Rousseff, e o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, haviam sido monitorados. As denúncias foram feitas por meio de dados obtidos pelo ex-consultor contratado pela NSA, Edward Snowden.

Posteriormente, mais dados sobre espionagem a diversos países vieram à tona por meio de dados publicados pela imprensa internacional - como à Alemanha, à França e à Espanha. Todos os chefes de governo desses países cobraram explicações dos Estados Unidos. Na última sexta-feira (1º), Alemanha e Brasil entregaram às Nações Unidas (ONU) uma proposta de resolução sobre privacidade de dados à ser levada à Assembleia Geral.

*Com informações da Telam

Edição: Davi Oliveira

 

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Deixe seu comentário