X

Digite sua busca e aperte enter


Funcionário de saúde do governo atende uma paciente no Centro de Tratamento Kenema de ebola, em Serra Leoa.

Imagem:

Compartilhar:

Ebola: Venezuela pede que países da Alba reforcem proteção

Criado em 09/10/14 08h36 e atualizado em 09/10/14 08h56
Por Agência Lusa

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse ter solicitado reunião de emergência dos países-membros da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (Alba)  para rever os protocolos de prevenção contra o vírus ebola. Fazem parte da Alba, entre outros países, Bolívia, Cuba e Equador.

Leia mais notícias:

Alemanha recebe terceiro doente infectado pelo ebola

Japão autoriza uso de medicamentos experimentais contra o ebola

"Propus que se faça uma reunião muito rápida, de urgência, dos ministros de Saúde dos países da Alba para passar em revista os protocolos e estabelecer cooperação integral próxima, para estarmos preparados e combater o ebola”, disse.

Nicolás Maduro discursou durante cerimônia de graduação de médicos comunitários, durante a qual explicou que a Venezuela tomou as medidas e fez "suficiente" investimento para evitar a chegada do ebola ao país.

"Já temos os equipamentos e o protocolo aprovado, todo o sistema de segurança, para evitar a chegada do ebola. Apelo a todo o país para colaborar com o sistema público de saúde, nos aeroportos e fronteiras", disse.

Nicolás Maduro acrescentou que "é um dever" dos governos da América Latina que têm "sistemas de saúde mais protegidos" coordenar e preparar as medidas.

O chefe de Estado disse ainda que a reunião poderia ter lugar, "de maneira imediata", em Caracas ou em Havana, e que "há muitas teorias sobre como apareceu esse estranho vírus hemorrágico" que, segundo a Organização Mundial da Saúde, já provocou mais de 3,4 mil mortos e infectou mais de 8 mil pessoas na África Ocidental.

Confira no mapa abaixo o número de casos da doença por país:

View Casos de Ebola in a full screen map

* Com informações da Organização Mundial de Saúde

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário