X

Digite sua busca e aperte enter


3,6 milhões de haitianos sofrem com insegurança alimentar

Imagem: Unicef/LeMoyne

Compartilhar:

3,6 milhões de haitianos sofrem com insegurança alimentar

Criado em 09/02/16 19h40 e atualizado em 09/02/16 19h50
Por Rádio ONU

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, afirmou que 3,6 milhões de haitianos estão sofrendo de insegurança alimentar no país. Segundo a agência da Organização das Nações Unidas (ONU), entre eles, 1,5 milhão estão em situação grave. Pelo terceiro ano consecutivo, o Haiti sofre com uma forte seca, agravada ainda mais agora pelo efeito climático El Niño.

Chuvas

O PMA disse que essa condição causou um aumento do número de pessoas na pobreza e passando fome. Além disso, dobrou a fatia da população em insegurança alimentar severa.

A vice-diretora da agência no Haiti, Wendy Bigham, disse que "sem chuvas na primavera deste ano, os agricultores vão perder a quarta safra consecutiva, da qual dependem para alimentar a família".

Ela afirmou que a comunidade internacional tem de ajudar a suprir as necessidades imediatas dessas pessoas e aumentar a capacidade de resiliência.

Perdas

De acordo com o PMA, a colheita de 2015 registrou perdas de até 70% em algumas áreas. Isso tem efeito direto em vários setores, já que a agricultura emprega metade da força de trabalho do Haiti e 75% da população vive com menos de US$ 2 por dia, o equivalente a R$ 8.

Em coordenação com o governo, o PMA está distribuindo comida para 120 mil haitianos desde novembro nas regiões mais afetadas pela seca. A ajuda consegue suprir as necessidades de uma família de cinco pessoas por um período de dois meses.

Entre os itens fornecidos estão arroz, feijão, óleo, açúcar e sal. A agência da ONU informou que a assistência às famílias é essencial até, pelo menos, a próxima safra em julho.

Para atender às necessidades básicas de 1 milhão de haitianos, o PMA vai precisar de US$ 84 milhões.

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário