X

Digite sua busca e aperte enter


Educação de Jovens e Adultos (EJA) é opção para as pessoas mais velhas que querem voltar a estudar

Imagem: SME-Jahu

Compartilhar:

EJA: como obter o certificado do ensino fundamental e médio

Criado em 22/03/16 20h40 e atualizado em 02/05/16 17h15
Por Portal EBC

A necessidade de obter uma colocação em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo tem levado milhares de brasileiros de volta à escola. De acordo com dados do Censo da Educação Básica de 2015 divulgados nesta terça-feira (22) pelo Ministério da Educação, 3,4 milhões de alunos estavam matriculados no programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Brasil.

 

Sala de Educação de Jovens e Adultos em Brasília
Creative Commons - CC BY 3.0 - Sala de Educação de Jovens e Adultos (EJA) em Brasília

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é uma modalidade de ensino que trabalha com o mesmo conteúdo e pretende desenvolver as mesmas competências do ensino fundamental (1º a 8º ano) e médio (antigo colegial), só que voltada para pessoas adultas, com uma metodologia de ensino diferente da dirigida às crianças e adolescentes. Antigamente a EJA era chamada de supletivo, daí porque muitas pessoas ainda utilizam esse termo ao se referirem a essa modalidade de ensino.

As secretarias de educação estaduais e municipais mantém, em geral, dois tipos de oferta de EJA: a presencial, em que a pessoa vai até uma escola e frequenta as aulas, geralmente no período noturno, e a distância (EaD), em que a pessoa estuda pela internet ou com apostilas e livros didáticos fornecidos pela instituição.

Se você tem mais que 15 anos e não concluiu o ensino fundamental ou possui mais que 18 anos e não finalizou o ensino médio, pode se inscrever em um dos programas de EJA em todo o país.

Certificação: exame supletivo e Encceja

Até alguns anos atrás, a certificação dos alunos da EJA era chamada de exame supletivo, nome que pode vigorar ainda em algumas regiões do Brasil. A prova avalia as competências dos estudantes da EJA para a obtenção do certificado de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio. Pessoas que estudaram por conta própria ou por programas, mas não estão ligadas a nenhum programa de EJA também podem se inscrever nesses exames para pleitear o certificado.

Ensino Fundamental

A certificação do ensino fundamental pode ser feita por meio de provas realizadas pelas secretarias municipais ou estaduais de educação. Nesse caso, o estudante deve se informar em seu município sobre as datas e documentos necessários para a inscrição, bem como sobre o dia e local do exame. 

Uma outra possibilidade para obter o documento que atesta a conclusão do ensino fundamental é participar do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Esse exame é realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A inscrição é gratuita e a pessoa precisa ter pelo menos 15 anos completos até a data da prova para realizar o exame. São avaliados os conhecimentos de língua portuguesa (a prova inclui uma proposta de redação), língua estrangeira moderna, artes, educação física, matemática, história, geografia e ciências naturais.

Ensino Médio

Tal qual para o ensino fundamental, a certificação do ensino médio também pode se dar pelas provas realizadas pelas secretarias municipais ou estaduais de educação.

Além da certificação por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), um novo exame será criado pelo Ministério da Educação para atender especificamente a esta questão da certificação do ensino médio. Os detalhes da nova avaliação ainda serão anunciados pelo Inep. 

Para obter a certificação pelo Enem, é preciso alcançar pelo menos 450 pontos em cada uma das áreas de conhecimento das provas e nota acima de 500 pontos na redação. Anualmente, cerca de 11% dos inscritos conseguem esse resultado e obtêm a certificação.

Brasileiros que residem no exterior, podem recorrer ao Encceja para obter, além da certificação do ensino fundamental, a certificação do ensino médio. A prova é aplicada em alguns países onde o Brasil possui representação diplomática

Creative Commons - CC BY 3.0
Fale com a Ouvidoria

Deixe seu comentário